julho 4, 2022

Seja um profissional saudável!

O potencial humano é muito grande e varia de pessoa para pessoa, de acordo com a atitude e empenho em perseguir os próprios objetivos; fazendo com que a motivação e a elevada autoestima, em regra, façam parte das qualidades dos profissionais bem-sucedidos.
Quem não acredita no próprio potencial está se autossabotando, pois nenhuma boa empresa confia as suas melhores funções a quem não demonstra habilidade e vontade de vencer desafios. Cada colaborador tem de pensar como se fosse o seu próprio empresário e, assim, passar a entender porque a motivação é indispensável para o sucesso pessoal e profissional.
Cada vez mais, quem está de bem com vida, esbanjando entusiasmo e alegria, tem conquistado as melhores posições no mercado de trabalho; já que é trabalhoso motivar os colaboradores apáticos e as empresas não podem se deixar representar por eles.
Se você não consegue reconhecer o seu próprio valor e nem vibra com os bons resultados de suas ações, cuidado, pois a sua autoestima deve estar fragilizada, está lhe faltando motivação e em pouco tempo pode lhe faltar emprego também. O maior inimigo do desmotivado é ele mesmo, pois estará sempre com problemas decorrentes da forma negativa de encarar o cotidiano.
Perceba que uma lâmpada apagada é muito parecida com uma que está “queimada”, ambas não tem brilho, não é verdade? Todavia, à apagada só falta energia para que acenda, enquanto que a “queimada” está inutilizada. A pessoa desmotivada é uma lâmpada apagada que também não brilha só por falta de entusiasmo.
A motivação abre bons caminhos e facilita a vida pessoal e profissional, já que soluciona problemas, faz amigos, fortalece equipes, mantém o emprego e evita doenças, em especial as de cunho emocional. Acreditar no próprio potencial é se presentear com a esperança do sucesso, buscando determinação para transformar sonhos e desejos em realidade.
A vida impõe uma série de afazeres e isso gera contratempos e dissabores e, no trabalho, também é assim, logo, o profissional é que escolhe se quer agir com alegria e motivação ou se quer atuar reclamando e sem ânimo. É uma questão de escolha, mas quem levanta e parte para o trabalho com entusiasmo tem menos desgaste, mais produtividade e, por consequência, mais sucesso.
Em qualquer serviço, os desafios são comuns e, diante deles, os motivados crescem e os desanimados perecem. Da mesma forma que preferimos ter filhos animados e dedicados, as empresas também querem colaboradores entusiasmados e esforçados. Enfim, é mais saudável conviver com pessoas animadas que preferem compreender a viver reclamando.
A pessoa motivada sente satisfação em viver e em trabalhar, preferindo ser alegre e valorizar a vida, mesmo com seus inevitáveis contratempos; em contrapartida, as desanimadas estressam-se facilmente e incomodam os colegas de serviço e, quando não estão no trabalho, perturbam a família.
Há profissional que atribui o próprio fracasso ao destino ou à falta de sorte, mas vive esperando que os outros o motivem, ao invés de procurar se automotivar. Além de respeitar as diferenças entre as pessoas, para se manter motivado, é preciso reconhecer e administrar as próprias qualidades e limitações. Outra coisa que ajuda a progredir é afastar-se dos pessimistas e “reclamões”, pois, às vezes, não se consegue um objetivo por acreditar mais nas observações derrotistas do que no próprio potencial.
Leitor, uma pessoa entusiasmada e bem-humorada ilumina os ambientes que frequenta, enquanto que uma desanimada ou pessimista tem “cheiro de problema” e deixa os ambientes pesados; portanto, para o bem seu e daqueles que o cercam, seja um profissional saudável!

Boa semana!

Antônio de Carvalho – Consultor e palestrante sobre motivação, atendimento ao cliente e qualidade de vida no ambiente de trabalho.

Read Previous

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO E RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO

Read Next

Proposta pelo vereador Nelinho Noronha, Secretário estadual do Mato Grosso receberá moção de aplausos da Câmara de Águas de São Pedro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.