agosto 19, 2022

Professora Bebel promove audiência pública para debater diretrizes para o ensino médio

Professora Bebel promove audiência pública para debater diretrizes para o ensino médio – imagem divulgação

A deputada estadual Professora Bebel (PT) promoveu nesta quinta-feira, 28 de julho, a audiência pública virtual para debater políticas e práticas curriculares para o Ensino Médio no Estado de São Paulo. O objetivo foi debater um ensino médio que atenda às necessidades da juventude brasileira, dos filhos e filhas da classe trabalhadora, em contraposição à farsa do “Novo” Ensino Médio que vem sendo implementado pelo então governador João Doria e o seu secretário da Educação, Rossieli Soares, que continua sendo praticado pelo atual governador Rodrigo Garcia (PSDB).

A audiência virtual contou com a participação do professor convidado José Fernandes de Lima. O docente foi contemporâneo da Professora Bebel como conselheiro no Conselho Nacional de Educação, bem como também foi presidente. Além disso, foi relator das diretrizes nacionais do ensino médio, aprovadas em 2012, que estabeleciam como eixo fundamental deste nível de ensino, a articulação entre ensino-cultura-tecnologias, visando a formação integral dos jovens para a continuidade dos estudos, para o mundo do trabalho e para a vida.

Bebel destaca que essas diretrizes foram abandonadas pelo governo golpista de Michel Temer, que impôs a reforma do ensino médio. No entanto, graças, em grande parte à atuação da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de Ensino do Estado de São Paulo), sob o comando da Professora Bebel, atualmente licenciada da presidência da entidade em função de ser candidata à reeleição à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, que impediu a realização da audiência pública sobre a Base Nacional Comum Curricular no Memorial da América Latina, em 2017, Temer não conseguiu completar o processo de desmonte do ensino médio.

Entretanto, o presidente da República, Jair Bolsonaro aprovou a nova BNCC e, o então Ministro Rossieli Soares, completou a tarefa em nível nacional. Depois, como secretário da Educação no Estado de São Paulo, implementou a farsa do “novo ensino médio”, sob o argumento de um falso “protagonismo” juvenil e “direito de escolha” dos estudantes. Subterfúgios que não passam de uma cortina de fumaça para negar à juventude que estuda em escolas públicas o direito ao conhecimento, reduzindo sua formação à preparação para as necessidades do chamado “mercado de trabalho” ou o falso “empreendedorismo”, que mascara o subemprego nos dias de hoje. “Diante desse cenário obscuro vivido em todos os níveis da educação, é urgente e necessário pautar esse tipo de debate e incluir a sociedade nessa discussão”, enfatiza a deputada Professora Bebel.

Read Previous

Conservatório de Tatuí recebe Festival Internacional Ethno Brazil

Read Next

Artista e educadora social de Piracicaba (SP) lançou videoclipe de rap quinta-feira, 28