julho 2, 2022

Programa vai orientar famílias cadastradas nos Cras e Creas sobre castração de animais

Foto: Divulgação

Novo projeto viabiliza o auxílio às famílias em situação de vulnerabilidade social a procurar os serviços do CCZ

Teve início hoje, 09/06, o programa de orientação sobre castração de animais para famílias atendidas pelos Cras (Centro de Referência de Assistência Social) e pelos Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) do município. O projeto é idealizado pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) e o Núcleo de Bem-Estar Animal, ligado às secretarias de Saúde (SMS) e de Defesa do Meio Ambiente (Sedema). A reunião para alinhamento do projeto aconteceu hoje, 09/06, e contou com representantes do Núcleo, da Smads e dos Creas.

O objetivo, de acordo com os organizadores, é, além de orientar as famílias sobre a necessidade da castração, mapear e controlar a situação da reprodução descontrolada de animais na cidade. Famílias atendidas nas seis unidades do Cras e nas duas unidades do Creas agora podem buscar orientações e auxílio do programa sobre castração.

“O projeto tem o intuito de fazer o melhor tanto pelas famílias quanto pelos animais. Então todas as equipes agora podem fazer esse trabalho de orientação com as famílias em situação de vulnerabilidade e risco social e as famílias com violação de direitos, com o objetivo de facilitar o acesso ao programa de castração gratuita. Estas famílias já são acompanhadas pelos Cras e Creas”, ressalta Andréia Golinelli, procuradora jurídica da Smads.

“É preciso falar sobre a importância da castração, o porquê e quando fazer. Isso nos permite realizar um controle melhor sobre a situação desses animais”, comenta Matheus Santos, coordenador do Núcleo.

O trabalho consiste em orientar as famílias em situação de vulnerabilidade e risco social que já são assistidas pelos Cras e Creas da cidade a buscarem o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) para fazer a castração de seus animais, sejam gatos ou cães.

Sendo assim, elas entram em contato com as equipes do CCZ e agendam o dia e o horário para o procedimento. Caso a família não disponibilize de nenhum meio para levar o animal até o Núcleo, o próprio CCZ se encarrega de buscar e depois devolvê-los aos seus tutores.

“Importante ressaltar que, hoje, o Núcleo consegue realizar o procedimento em até 30 animais por dia, mas muitas pessoas que agendam acabam não confirmando e não comparecendo. Sendo assim, sempre temos vagas remanescentes que podem ser direcionadas a estas famílias”, destaca Matheus.

Read Previous

Defesa Civil de Piracicaba recebe nova viatura e equipamento para combater incêndios

Read Next

Piracicaba participa dos Jogos da Melhor Idade

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.