agosto 19, 2022

Prefeitura acompanha projeto de reflorestamento em 11 propriedades rurais

Foto Thais Passos SEMA

O reflorestamento ocorre por meio do programa municipal Pagamento por Serviços Ambientais, da Sema

O reflorestamento de 11 propriedades rurais localizadas na microbacia do Ribeirão dos Marins, por meio do programa municipal PSA (Pagamento por Serviços Ambientais), da Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Sema), já está em andamento pela empresa Progaia, ganhadora da licitação para executar o trabalho.

Na última sexta-feira, 1º/07, foram realizadas vistorias em três propriedades que já receberam o cercamento com cinco fios de arame liso, necessário nos locais onde há criação de gado, para que as mudas não sejam danificadas. Foram instalados 3.273 metros lineares de cerca nas propriedades, com mourão de eucalipto tratado. A preparação das áreas, com as covas para mudas, adubação e controle de formigas, também já foi concluída.

Nesta vistoria estiveram presentes a secretária de Agricultura e Abastecimento, Nancy Thame, e a engenheira agrônoma da Sema, Evelise Moda, além do técnico da Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente), Felipe Pacheco, do coordenador dos trabalhos de campo da Progaia, Marcus Nunes e os técnicos representantes da Agência das Bacias PCJ, Marina Barbosa e Felipe Requena.

O plantio das mudas de espécies nativas nas onze propriedades deve ser concluída neste mês de julho. Ao todo, serão reflorestadas 21 hectares em áreas de APPs (Área de Preservação Permanente).

Após as vistorias, os relatórios elaborados pela Progaia são enviados e aprovados pelos membros da UGP/PSA (Unidade Gestora de Projetos) do programa PSA e dos conselheiros do Comder (Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural), para que o pagamento seja liberado à empresa.

Os recursos para a execução do projeto foi possível após a Prefeitura ter sido contemplada no final de fevereiro com o recurso de R$450 mil, proveniente de edital da Agência das Bacias PCJ, para uso em restauração ecológica, sem necessidade de contrapartida.

A secretária Nancy Thame disse que a Sema está muito empenhada no acompanhamento deste projeto. “Nesta vistoria podemos constatar que a empresa está fazendo um bom trabalho no preparo das áreas. Em breve teremos as mudas plantadas e poderemos visualizar melhor o imenso impacto positivo que esse projeto trará para o restabelecimento de ecossistemas degradados a longo prazo”, ressalta.

Read Previous

Emdhap realiza ação social no Núcleo Maria Cláudia para processo de regularização fundiária

Read Next

Programa Melhor Caminho vai recuperar estradas da zona rural de Torrinha