agosto 9, 2022

Deputada Professora Bebel defende CPI para investigar o Ministério da Educação

Foto divulgação

Para a deputada estadual Professora Bebel (PT), a instalação da CPI do MEC (Ministério da Educação e Cultura) é uma necessidade e tem que ser prioridade para todos os brasileiros e brasileiras que querem ver nosso país superar a triste realidade que vivemos. É que a prisão, na semana passada, do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, pela Polícia Federal, que já está em liberdade, e todas as revelações que vêm sendo feitas sobre o esquema de corrupção no Ministério da Educação – apontando inclusive para o possível envolvimento do presidente da República, Jair Bolsonaro – tornam ainda mais inadiável a CPI, para que todos os fatos possam vir à tona e os culpados identificados e punidos.

Bebel diz que não se pode admitir o desvio de nenhum dinheiro público. “Desviar dinheiro da educação, sobretudo, é atacar a mais importante política pública, comprometendo o futuro de milhões de crianças e jovens e da própria nação”, enfatiza a parlamentar que postou em suas redes sociais os endereços eletrônicos dos senadores federais.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) informou que o requerimento para a criação da CPI do MEC já conta com 28 assinaturas de senadores, uma a mais do que o mínimo necessário ao registro do pedido de instalação. O parlamentar afirmou que espera conseguir mais apoios nos próximos dias.

Para o senador da Rede, é possível que a CPI seja instalada ainda neste semestre, antes do recesso parlamentar, que começa em julho. Mas ele reconheceu que os trabalhos de investigação só devem ter início em agosto, após o recesso. “Há alguma dúvida de que houve um esquema tenebroso de tráfico de influência no âmbito do Ministério da Educação?”, questionou Randolfe, ao defender que a CPI, se instalada, investigue não só as denúncias contra o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, mas também as suspeitas de irregularidades no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124

Read Previous

Inscrições para o Prêmio da Fundação ArcelorMittal são prorrogadas

Read Next

Iniciativa idealizada pelo Afropira, de Piracicaba, une projetos afro de diferentes municípios paulistas