Piracicaba sediou oficina preparatória para enfrentar as chuvas de verão

Evento contou com 38 agentes da defesa civil, representando 19 municípios da região

Piracicaba sediou hoje, 26/10, no Engenho Central, a 3ª Oficina Preparatória para a Operação Chuvas de Verão, criada com o objetivo de proporcionar aos agentes e gestores municipais de proteção e defesa civil conhecimentos para atuação efetiva e sistêmica durante o período de chuvas de verão, com vistas à redução dos riscos de desastres.

A ação, realizada pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, reuniu 38 agentes representando 19 municípios da região (Araras, Amparo, Brotas, Capivari, Charqueada, Cordeirópolis, Elias Fausto, Iracemápolis, Itirapina, Limeira, Piracicaba, Pirassununga, Rio Claro, Saltinho, Nova Odessa, Torrinha, Americana, Santo Antônio do Jardim e Santa Bárbara D´Oeste).

O prefeito Luciano Almeida recepcionou os participantes. Ele lembrou que as chuvas de verão são sempre bem-vindas, principalmente diante da possibilidade de crise hídrica que se aproxima, mas também preocupam, já que podem ocasionar situações de risco para a população de maneira geral. “Por isso é importante que os gestores e os agentes responsáveis pela defesa civil dos municípios estejam preparados para desempenhar suas funções da melhor forma possível e a ação de hoje será fundamental para que isso ocorra, com equilíbrio e responsabilidade”, disse Luciano.

O major PM Erich Cardoso Hoffmann, diretor da Divisão de Prevenção e Preparação da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, informou que todo o conteúdo ministrado hoje, durante a oficina, foi baseado nos problemas mais recorrentes ocasionados pelas chuvas de verão. Entre os exercícios, constaram treinamento para a utilização da motoserra, equipamento útil para desobstruir ruas e avenidas no caso de queda de árvores, além de treinamento para embarcação em bote inflável, usado em casos de alagamento ou transbordamento, ambos ministrados pelo Corpo de Bombeiros.

No período da tarde, os participantes da oficina foram até a Pedreira do Bongue, onde ocorreu um treinamento sobre evidências de movimentação do solo. Eduardo de Andrade, especialista ambiental, mostrou como é possível antecipar situações de desmoronamento por excesso de chuvas, por meio da simples observação de trincas, degraus de abatimento ou pela inclinação das árvores no local.

Aline Maria Leite de Moraes participou da oficina, representando o município de Saltinho. Ela comentou que embora a sua cidade ainda não tenha uma secretaria de defesa civil, ela está trabalhando com a atual administração para conseguir implantá-la a partir de 2022. “Estamos ansiosos para montar a defesa civil e assim atender melhor a nossa comunidade. Daí a importância de participar de eventos desta natureza”, concluiu.

Representando a defesa civil de Charqueada, Valdir Cândido da Silva, que também ocupa o cargo de comandante da Guarda daquele município, elogiou o conteúdo oferecido pelos bombeiros, lembrando que as atividades do treinamento foram muito próximas do que acontece na realidade, durante a fase mais crítica das chuvas de verão.

O treinamento da oficina contou com apoio do Instituto de Pesquisas Ambientais (IPA), Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo e Climatempo (Somar Meteorologia).

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta