Nosso guerreiro André se foi…

Nosso guerreiro André se foi…

Paciente de 12 anos, que fazia tratamento de fibrose cística desde bebê na Santa Casa, partiu na manhã deste dia 06 de janeiro de 2022

Com apenas 12 anos, um gigante em ternura, humildade, exemplo de força e sensibilidade. Esse foi André Barbosa Diniz que partiu hoje, neste dia 06 de janeiro de 2022, justamente no Dia da Gratidão, justamente no dia de festa ou folia de Reis que celebra a chegada dos três Magos que, segundo o cristianismo, eram chamados Melchior (ou Belchior), Balthazar e Gaspar e que levaram ouro, incenso e mirra para dar ao menino Jesus recém-nascido. Uma data que também é conhecida como ‘Epifania do Senhor’.

André nasceu na Santa Casa de Piracicaba, em 21 de outubro de 2009 e ainda bebê, foi diagnosticado com fibrose cística. Nesses 12 anos foram várias internações. Ano passado ele contraiu covid-19 e sua função pulmonar ficou extremamente debilitada. Em poucos meses, recebeu o diagnóstico de que entrava em cuidados paliativos. A capacidade respiratória de seu pulmão estava em 20%.

No fim do ano, um desejo: que Papai Noel fosse até seu quarto, pois estava internado desde o dia 09 de outubro. Sua festa de aniversário surpresa, foi na Santa Casa, preparada pela equipe de profissionais que cuidava dele desde sempre.

Seu pedido mobilizou as equipes de pediatria, pediatria intensiva e Comissão Interna de Humanização da Santa Casa. Papai Noel, interpretado pelo cardiologista do hospital Marcos Mendes, levou para o André dezenas de presentes, comprados pelos funcionários do hospital. E esse foi apenas o primeiro de muitos momentos felizes vividos por André. A Santa Casa fez um vídeo dessa visita, que viralizou nas redes sociais.

Um grupo de médicos e funcionários o presenteou com 11 cilindros de oxigênio para que pudesse passar o Natal com sua família em casa. A ação emocionou os internautas e muitas pessoas fizeram doações para que a família de André pudesse comprar mais cilindros para ele passar o Ano-Novo em casa também. E deu certo. Ele estava usando um cilindro a cada 14 horas.

Nesses 15 dias que conseguiu ficar com sua família e fora do ambiente hospitalar, André esbanjava felicidade. Recebeu até a visita da equipe do Samu, que o presenteou com um uniforme. “Ele sempre disse que o sonho dele era ser socorrista do Samu quando crescesse, para salvar muitas vidas”, disse Jesuína Barbosa Diniz, mãe do André, que também sempre fez questão de agradecer tudo que a equipe da Santa Casa sempre fez por seu filho em todos esses anos.

Mal sabe o André, que ele não precisou crescer e nem se tornar um socorrista profissional para salvar vidas, Sim, ele salvou várias. Isso mesmo, salvou os corações de pessoas desacreditadas que, ao ver sua história, se mobilizaram para ajudá-lo e essa atitude as salvaram da inércia em fazer algo por alguém.

Na madrugada do último dia 03 de janeiro, André precisou voltar para a UTI Pediátrica da Santa Casa. Estava desacordado. Não responsivo. E hoje ele se foi. Bem no Dia da Gratidão. A nós, resta ser gratos por nos ensinar tanto, em tão tenra idade. Gratidão, André! Em tempo: de acordo com informações da Funerária Unidas, o velório do André será nesta sexta-feira, dia 07, a partir das 6h, na sala 1 do Cemitério da Vila Rezende, bem como o enterro, às 14h.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta