Médico infectologista Hamilton Bonilha de Moraes encerou encontro da Prematuridade na Santa Casa de Piracicaba

Médico infectologista Hamilton Bonilha de Moraes encerou encontro da Prematuridade na Santa Casa de Piracicaba

Evento virtual trouxe vídeos e depoimentos de profissionais mostrando aspectos da assistência neonatal na Unidade

Profissionais de várias especialidades que se unem diariamente para direcionar assistência integral e qualificada a recém-nascidos prematuros de Piracicaba e região na UTI Neonatal da Santa Casa de Piracicaba  se revezaram durante toda esta semana nas redes sociais para expor ao público em geral os principais aspectos do trabalho desenvolvido pela equipe na Instituição.

A campanha, que começou na segunda-feira, 8,  sob o tema “Lutando Pela Vida”, tem apoio da SPSP- Sociedade de Pediatria do Estado de São Paulo e encerrou ontem, com a participação do médico infectologista Hamilton Bonilha de Moraes, coordenador do SCIH- Serviço de Controle de Infecção Hospitalar da Santa Casa falou sobre “O impacto da covid-19 no ambiente de uma UTI Neonatal”.

Ele contou que, desde o início da pandemia do covid-19, a Santa Casa primou por normatizar e enfatizar as barreiras de proteção priorizando os pacientes, seu corpo de funcionários e todos os colaboradores do hospital. “Mantivemos essa barreira de proteção desde 25 de março de 2020, pois tínhamos certeza de que o vírus se transmitia de forma respiratória, cenário em que a máscara seria a principal barreira de proteção”, explicou.

Segundo Bonilha, com essa finalidade, a Santa Casa conseguiu diminuir expressivamente o número de transmissão dentro do Hospital,  principalmente em locais de risco, em que o paciente está com sua imunidade reduzida, a exemplo da UTI Neonatal, onde os recém nascidos tem realmente uma imunidade reduzida e maior risco de adquirir infecções em alguns casos.

“Isso porque, à medida em que você restringe o número de pessoas na UTI Neonatal, institui a exigência do uso de máscara, principalmente para mãe que vai amamentar  o seu bebê  e prioriza fatores que poderiam afetar a transmissão do vírus, conseguimos o brilhantismo de não ter nenhum caso de um recém-nascido infectado com a covid-19 na UTI Neonatal”, disse o infectologista.

Segundo ele, isso mostra a importância da Santa Casa no combate à pandemia, a importância dos seus funcionários e de sua equipe multidisciplinar, que acaba exercendo uma função fundamental nas UTIs, especificamente na UTI Neonatal, evitando o risco de transmissão do vírus.

Também expuseram sua atuação o médico neonatologista Antonio Ananias Filho, coordenador da UTI Neo há 25 anos que falou sobre a estrutura da Unidade, implantada há 27 anos, tornando-se referência para a região; a enfermeira  coordenadora Maiby Parazzi, que falou sobre a atuação das equipes multidisciplinares na Unidade; a psicóloga Paula Maia, que falou sobre o grupo de apoio Filhos Valentes, as dificuldades e enfrentamentos no dia a dia de uma UTI neonatal e sobre o apoio psicológico concedido aos familiares. Também participaram da programação  a coordenadora do Setor de Serviço Social da Santa Casa,  Dalva Gama,  que falou sobre a importância do trabalho junto às famílias e as dificuldades enfrentadas pelos pais e familiares; o engenheiro Thiago Santanna, que abordou  a importância da presença de vários equipamentos em uma UTI neonatal e das intervenções preventivas para um adequada assistência aos recém nascidos prematuros; e a coordenadora de Hotelaria da Liliane Lupi, que falou sobre a importância da higienização hospitalar dentro de uma UTI Neonatal.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta