Maio Amarelo: poluição sonora é destaque em campanha da Semuttran em Piracicaba

Maio Amarelo: poluição sonora é destaque em campanha da Semuttran em Piracicaba

Iniciativa atende a reclamações de munícipes e aborda ainda problemas que os ruídos causam à saúde humana

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a poluição sonora é a segunda maior causadora de doenças no mundo. Visando tornar Piracicaba uma cidade mais aprazível e silenciosa, a Prefeitura, por meio da Semuttran – Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, Trânsito e Transportes, lançou na quarta-feira, 26/05, campanha de conscientização dos condutores quanto ao barulho proveniente dos veículos automotores, que causam, inclusive, problemas à saúde.

Entre as ações estão a distribuição de banners e cartazes da campanha em abrigos e terminais de ônibus, divulgação em painel de LED e spot em rádios.

Segundo o secretário da Pasta, José Vicente Caixeta Filho, a Semuttran tem recebido reclamações de cidadãos sobre o excesso de ruídos gerados por carros e motocicletas. A campanha destaca que a responsabilidade é de todas as pessoas quando o assunto é redução de barulho no trânsito e a expectativa é que Piracicaba passe a ser uma cidade mais tranquila e sustentável nos próximos anos. O material que dará suporte à ação envolve cartazes, painéis em pontos de ônibus, faixas e anúncios em rádios e mídias sociais.

A moradora do bairro Paulista, Lúcia Helena Modolo Zunini, que contatou a Semuttran em abril, conta que já está cansada do excesso de barulho na cidade. Segundo ela, não apenas os ruídos provenientes do trânsito. “Esta cidade está barulhenta demais. A casa da gente chega a tremer quando passa um carro com som alto, não conseguimos mais ter paz nem para conversar ao telefone e assistir TV de tão barulhenta que Piracicaba se tornou. Parece terra sem lei”, desabafa Lúcia.

O excesso de barulho dos veículos automotores prejudica não apenas os cidadãos, mas também os condutores. Os profissionais que atuam no transporte de pessoas ou encomendas, como os motoristas de aplicativos e motoboys, são os mais afetados com os ruídos do trânsito, principalmente nos grandes centros urbanos.

Faz Mal à Saúde: Segundo o médico José Durval Fraga Moreira, do Centro de Referência de Saúde do Trabalhor (Cerest) de Piracicaba, o ruído em excesso e acima do permitido pela legislação pode influenciar negativamente a qualidade de vida do trabalhador, em sua saúde física e mental, bem como de todos os expostos ao barulho, e prejudicar a realização de suas atividades diárias no trabalho ou na vida pessoal.

Os principais ruídos no trânsito são provenientes das condições mecânicas dos veículos – quando precisam de algum tipo de manutenção ou substituição de componentes – ou da forma como os motoristas conduzem seus carros e motos.

A falta de manutenção ou o uso de partes e peças não originais também representa prejuízo aos proprietários, pois podem consumir mais combustível ou provocar acidentes. Com relação à forma de condução dos motoristas, o uso desproporcional do acelerador e dos freios são os principais geradores de ruídos no trânsito.

“Manter as motocicletas com a manutenção periódica em dia, além de fazer com que o equipamento lhe proporcione toda segurança possível, evita que tenha gastos desnecessários com reparos, alto consumo de combustível e prejuízos ao meio ambiente por meio da poluição sonora e emissão descontrolada de gás carbônico”, explica Agnaldo Lopes, diretor da Aversa Motos.

É importante considerar ainda que o ruído gerado pelos sistemas de transportes representa desperdício de energia, que deveria ser utilizado para promover apenas o movimento, mas está sendo gasto na forma de ruído, vibração e calor. Portanto, o ruído pode estar relacionado à baixa eficiência dos sistemas de transportes e à falta de treinamento e atenção de seus condutores.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta