Ampliação de serviços: Casa de Passagem atenderá migrantes, trecheiros e pessoas em situação de rua

Nos últimos 11 meses, o Albergue atendeu, em média, quatro pessoas por dia. Em contrapartida, a Casa de Passagem registrou cerca de 38 usuários/dia.

Devido à baixa procura pelo serviço de Albergue Noturno, uma vez que em 2021 foram repassados R$ 460 mil para custeio de 990 pernoites/mês e, em média, nos quatro últimos anos o local atendeu 111 pernoites/mês, a Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads), realiza readequações no serviço, visando melhorias e ampliação.

Sendo assim, a partir de 1º de janeiro de 2022, migrantes, trecheiros e pessoas em situação de rua serão atendidas pela Casa de Passagem, Núcleo de Atendimento Califórnia onde, além do pernoite, os usuários receberão atendimento 24 horas. O novo modelo contemplará refeições e oficinas durante o dia, garantindo qualidade e ampliação do atendimento.

“Não haverá encerramento do serviço, pelo contrário, ampliaremos o atendimento oferecendo aos nossos usuários qualidade e efetividade nas ações para a garantia dos seus direitos. Todos aqueles que procurarem pelos serviços do Albergue serão atendidos até o dia 31 de dezembro deste ano. A partir dessa data serão orientados a buscarem a Casa de Passagem”, explica Euclidia Fioravante, titular da Smads. “Infelizmente o que temos visto são pessoas sem credibilidade sobre gestão pública atacando essa mudança, que visa oferecer melhor atendimento, fazendo também melhor uso do dinheiro público”, complementa Euclidia.

A ampliação dos serviços para pessoas em situação de rua e migrantes e trecheiros faz parte do reordenamento dos serviços destinados a essa população. A iniciativa surgiu após análise da Comissão de Monitoramento e Avaliação da Smads, referente aos serviços existentes de 2018 a 2021, considerando o número de atendidos no Albergue Noturno (serviço apenas para migrantes e trecheiros) e os dados do Censo da População em Situação de Rua, realizado em setembro deste ano, que revelou que quase 30% ficou sem comer pelo menos um dia na semana anterior.
Ocultar histórico de mensagens

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta