Administração vê retomada da economia com a abertura de 90 novas empresas em Charqueada

Administração vê retomada da economia com a abertura de 90 novas empresas em Charqueada

Charqueada já começa a dar os primeiros sinais de aquecimento e retomada da economia local. Dados do Mapa de Empresas do Ministério da Economia, que utiliza as informações do Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) junto à Receita Federal, mostra que foram abertas em Charqueada entre janeiro e julho deste ano 168 empresas. Neste mesmo período, 78 encerraram suas atividades, um saldo positivo de 90 novas empresas e média de 12 por mês.

Do total de empresas abertas em 2021, 85% são microempreendedores individuais, as chamadas MEIs. As sociedades empresárias representam mais de 11%. Com relação ao porte dessas empresas, mais de 95% delas são microempresas (ME), cujo faturamento é de até R$ 360 mil por ano.  Quando analisada a atividade econômica dessas empresas abertas em 2021 em Charqueada, a maioria delas está no setor de comércio e/ou serviços e mais de 11% delas na construção civil.

“Nossa avaliação é de que a recuperação da economia nacional juntamente com as medidas pontuais adotadas pelo município como a instituição do Programa Especial de Recuperação Fiscal, o PERF Charqueada (conhecido como Refis), a adoção do IPCA em detrimento do IGPM (fortemente sensível aos preços do atacado e ao câmbio) como índice que corrigiu os tributos e preços públicos municipais, a prorrogação do vencimento do IPTU e do Simples Nacional, além da manutenção de programas sociais foram essenciais para estimular o consumo e os investimentos em Charqueada”, disse o secretário de Governo de Charqueada, Ewerton Clemente.

Naturalmente, a retomada das atividades e o incremento de novas empresas tiveram reflexos sobre o mercado de trabalho também. Entre janeiro e julho desse ano, segundo o estudo, já foram criados 289 novos empregos em oposição aos 21 postos de trabalho perdidos no ano passado.

Soluções para a retomada:

E é neste ponto que a prefeitura tem investido: trazer desenvolvimento aliado a uma gestão planejada para, lá na frente, retirar Charqueada da condição de cidade-dormitório. Para os gestores locais, só há uma saída: elaborar e executar projetos municipais para reverter o quadro de perda dos empregos formais agravado pela pandemia.

“Na última semana, encaminhamos à Câmara Municipal nosso Plano Plurianual (PPA) para 2022 a 2025 que consiste nos programas propostos pelo governo atual. Entre os programas estão ações de governo para estimular o primeiro emprego e capacitação profissional, o ensino técnico e a pesquisa em biotecnologia, a atração de novas empresas e o desenvolvimento do turismo e a modernização da gestão municipal com uso intensivo da tecnologia, entre muitos outros, construídos com o apoio da população”, ressaltou Clemente.

Todavia, para executá-los efetivamente, será necessária a união dos poderes e da sociedade. “Temos grandes desafios com a vigência de legislações decorrentes da pandemia como no caso da LC 173 que impede o aumento de despesas até o final deste ano.

De qualquer maneira, irei propor ao prefeito Rodrigo Arruda a constituição de um grupo de trabalho para já iniciarmos a discussão e elaboração dos projetos de lei referentes aos novos programas para que tão logo desapareçam os efeitos das restrições aprovemos os institutos com celeridade e rapidamente possamos beneficiar o povo de Charqueada”, finalizou o secretário.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta