Nelinho é contra e questiona instalação de antena de telefonia celular em praça pública de Águas de São Pedro

Nelinho é contra e questiona instalação de antena de telefonia celular em praça pública de Águas de São Pedro

O vereador Nelinho Noronha (PT) votou contrário ao projeto de lei de autoria do prefeito João Victor Barboza (Cidadania), aprovado pela Câmara na última sessão, que autoriza o executivo a ceder espaço para instalação de uma torre para instalação de antena de telefonia celular na praça pública em frente ao relógio do sol de Águas de São Pedro. De acordo com o vereador, o projeto que só teve o seu voto contrário, “foi votado à toque de caixa”, inclusive em sessão extraordinária marcada às pressas pela presidenta da Câmara Municipal, Maria de Fátima Scaranello.

Para ele, “é um absurdo o projeto ser colocado em votação sem maior discussão com a população, uma vez que terá impacto já que a Praça do Sol está localizada em uma das regiões mais valorizadas do município e a instalação desta antena de telefonia, independente do modelo, conforme revelam estudos de especialistas, sempre causam irradiação, e mesmo que tudo seja controlado pela Anatel, acabará desvalorizando os imóveis nas imediações. É um desrespeito para com a população, uma vez que não houve consulta à população e nem técnica. Apenas uma vereadora disse que conversou com cinco ou seis pessoas e que aprovaram a proposta, mas isso não é o que tenho visto. Pelo contrário, muitos estão criticando”, afirma, lembrando que nos anos 90, o então zagueiro da Seleção Brasileira desistiu de adquirir um imóvel próximo à Capela Nossa Senhora Aparecida, no bairro Iporanga, em função de haver antenas de celulares nas proximidades.  

O projeto aprovado também não é claro, segundo Nelinho, quanto a prefeitura irá receber pela instalação desta antena de telefonia. “Fico estarrecido como o prefeito está administrando Águas de São Pedro, sem ouvir a população. Pior é que está tendo apoio da presidenta da Câmara, que não faz nenhuma consulta pública, que poderia ser online, em função da pandemia. A população está sendo desrespeitada, um grande absurdo, e muitos têm me procurado reclamado do ocorrido”, ressalta, advertindo que para a instalação da antena diversas árvores terão que ser suprimidas, causando um impacto ambiental.

Nelinho diz ainda que há proprietários de casas particulares, como de uma fazenda localizada do outro lado do lago, com quem já conversou, que estão dispostos a locar espaço para a instalação da antena de celular. “Isso, com certeza, inclusive ampliaria a capacidade para atender toda população daquela parte da cidade, que deixaria, assim, de ter problemas de sinal de celular, e ao mesmo tempo não causaria nenhum impacto nos valores dos imóveis da cidade”, completa.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta