julho 4, 2022

Festival de viola terá shows, feira caipira, exposição de lutheria e rodas de conversa

Letícia Leal

foto: Lucas Henrich

2º edição do Festival Viola da Terra acontece entre os dias 15 e 19 de junho

com atividades presenciais e virtuais

Com o objetivo de trazer à tona a música instrumental de viola,
acontece entre os dias 15 e 19 de junho o 2º Festival Viola da Terra,
que reunirá shows, feira caipira, exposição de lutheria, rodas de
conversa, oficinas, exibição de série temática, rodas de viola com
artistas selecionados por meio de edital e homenagem à violeira Helena
Meirelles. Nos dias 15 e 16, as atrações podem ser conferidas de forma
virtual. Já no dia 17 de junho, a programação acontece de forma
presencial, no Sesc Campinas e nos dias 18 e 19, no Centro Cultural
Casarão, ambos em Campinas (SP). As atividades são gratuitas, com
exceção do show de Tavinho Moura, que acontece no dia 17.

A iniciativa é realizada por meio do ProAC Editais, programa do Governo
do Estado de São Paulo e Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e
conta com o apoio do Sesc Campinas, do Centro Cultural Casarão, da
Prefeitura Municipal de Campinas e da Rozini.

Idealizado pelo violeiro João Paulo Amaral e pelo produtor Leo Magnin,
o Festival Viola da Terra chega em 2022 a sua segunda edição, que
reunirá mais de 50 violeiros, de 30 cidades, seis Estados e três
regiões brasileiras. Serão sete shows, três rodas de viola, três
oficinas, duas rodas de prosa e a exibição de materiais audiovisuais.

Entre os aguardados shows, o festival contará com as apresentações de
Ivan Vilela com Letícia Leal, Tavinho Moura, Cleiton Torres e Leandro
Valentim, além do concerto da Orquestra Filarmônica de Violas, com a
participação de Laís de Assis.

foto: Lucas Henrich

Outro destaque da programação é a Feira Caipira, que reunirá
empreendedores de Campinas e convidados de outras cidades do interior
paulista, que oferecerão pratos e bebidas típicas, como galinhada,
cuscuz, milho verde, quentão e vinho quente; versões vegetarianas de
pratos caipiras, como a galinhada de palmito e caldo de ora-pro-nóbis,
além de livros, CDs e editoriais de música raiz e artesanatos
tradicionais, como bonecas de tecido e roupas de lã.

foto: Crédito Sidarta

“A viola brasileira tem uma profunda ligação com a nossa história,
ao dar voz aos sotaques e às tradições específicas de cada região.
Por isso, também é conhecida como viola caipira, viola nordestina,
viola pantaneira. O instrumento, que é capaz de transitar por
diferentes estilos musicais, ressalta a nossa diversidade, que é algo
que buscamos evidenciar no festival”, afirma o diretor artístico
João Paulo Amaral.

Programação

Os dois primeiros dias da programação, 15 e 16 (quarta e quinta),
podem ser conferidos virtualmente, de forma gratuita, por meio do canal
do Youtube do festival ([http://]www.youtube.com/c/FestivalVioladaTerra [1]). No
dia 15, às 19h, haverá a Roda de Prosa “Helena Meirelles” com
Mário Araújo, Rainer Miranda e Marina Ebbecke. Outra atração é a
exibição da websérie “Viola e Tradição”, às 21h. Para o dia
16, está programada a Roda de Prosa “Viola como profissão: gestão
de carreira”, com Paulo Freire, Vinícius Muniz e Gabi Goes (19h),
além da exibição da websérie “Mulheres Violeiras” (21h).

Na sexta, 17, o palco será o Sesc Campinas. A programação começa
às 14h, com oficina com Vitória da Viola (visita aos ritmos
pantaneiros e aos ponteios de Helena Meirelles) e segue com Roda de
Viola com alunos do TSI (Trabalho Social com Idosos – Sesc) às 16h e
Encontro de Luthiers de Viola (Luciano Queiroz, Levi Ramiro e Marcelo
Mater) às 17h, atividades gratuitas. Já os ingressos para o show de
Tavinho Moura, atração das 20h, custam entre R$ 15 e R$ 30 e podem ser
adquiridos na unidade local do Sesc ou pelo site www.sescsp.org.br [2]

No sábado, 18, e no domingo, 19, a sede será o Centro Cultural
Casarão, em Barão Geraldo, com entrada gratuita. No dia 18, o festival
reúne a oficina com Laís de Assis (Viola Nordestina) às 10h30; Feira
Caipira e Exposição de Lutheria e show do projeto Oficinas de Música
Caipira (ambos às 14h); Roda de Viola com Bruno Takashy, Mel Moraes e
Vinícius Azevedo (15h30); Catira no Palco Externo (16h30). Às 17h,
acontece homenagem a Helena Meirelles, com Milton Araújo e Karoline
Violeira, atração que será seguida pelo concerto da Orquestra
Filarmônica de Violas, que convida Laís de Assis (19h). Finalmente,
às 20h30, haverá Palco Livre, com Roda de improvisação, no Palco
Externo.

Já no dia 19, a programação começa às 10h, com Vivência de Reis,
seguida por show com Ivan Vilela e Letícia Leal e a Feira Caipira
(almoço), ambos às 11h. O Cortejo de Folia de Reis começa às 13h.
Às 14h, haverá Roda de Viola com Carol Carneiro, Gustavo Costa e
Júlio Caldas. Às 15h30, será a vez da Moda de Rock e, às 17h30, a
atração será o show com Cleiton Torres e Leandro Valentin.

“A primeira edição, realizada no ano passado, foi um sucesso, embora
tenha acontecido apenas no formato virtual. Neste ano de 2022, temos a
possibilidade de realizar o festival nesse formato híbrido, o que é
muito interessante, tanto pela possibilidade de atingir pessoas de
diferentes localidades como por proporcionar o contato com o público e
a troca de ideias entre os artistas, a partir das atividades
presenciais”, diz Leo Magnin, coordenador de produção.

Equipe

Direção artística: João Paulo Amaral. Coordenador de produção: Leo
Magnin. Assistente de Direção: Domingos de Salvi. Coordenador de
comunicação: Leo Yu Marins. Desenho gráfico: Estúdio Risco. Produtor
audiovisual: Mário Almeida. Assessoria de imprensa: Rafael Bitencourt
(Tempo D Comunicação e Cultura).

Read Previous

Cresce golpe do emprego falso

Read Next

Simespi disponibiliza 1.959 currículos para empresas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.