Casa Civil mostra que prefeito de Águas mente sobre perda de emenda destinada pela deputada Bebel

Foto: Divulgação

Documento emitido nesta semana, em resposta a ofício nº, de 23/03/2022, da deputada estadual Professora Bebel (PT), Roger Willians, subsecretário de Articulação Política da Casa Civil do governo estadual confirma que Águas de São Pedro, por falta da apresentação de documentação, perdeu um montante de R$ 100 mil destinados pela deputada estadual Professora Bebel (PT) ao município. A resposta da Casa Civil, com data deste último dia 29,  mostra que o prefeito de Águas de São Pedro, João Victor Barboza, mentiu em matéria publicada no jornal A Tribuna Piracicabana, do último sábado, onde nega a perda de recurso destinado à infraestrutura para Águas pela deputada Professora Bebel, alegando que tanto a parlamentar como o vereador Nelinho Noronha (PT), seu irmão, deram declarações inverídicas sobre a perda de recursos pela Prefeitura.

O documento da Casa Civil mostra claramente que a deputada Professora Bebel e o vereador Nelinho estão corretos em afirmarem que faltou empenho por parte da Prefeitura de Águas de São Pedro para viabilizar a liberação do recurso. “Realmente, o recurso não foi liberado, como mostra o documento da Casa Civil, porque a Prefeitura não apresentou os documentos necessários, apesar de o processo ter começado em 2019 e só ter sido cancelado no ano passado, já na gestão do João Victor Barboza. A população tem que saber que esse prefeito é um grande mentiroso, inconsequente, dissimulado e o município está perdendo em função da sua incompetência, o que acaba sendo um grande risco para toda população”, diz Nelinho.

É que na resposta, a Casa Civil escreve que no ano de 2019 houve a destinação de um montante de R$ 100 mil para Águas de São Pedro, com  acompanhamento constante sobre os procedimentos, dos beneficiários, necessários à instrução processual com vistas ao convênio, que tinha o objetivo de disponibilizar o Poder Executivo (Prefeitura de Águas) de informações sobre a evolução e viabilidade de empenho do recurso. No entanto, “foi apurado na época que o município de Águas de São Pedro não instruiu o processo com a documentação completa, inviabilizando a reserva de recurso à época por absoluta falta de condições documentais para celebrar o convênio”.

De acordo com a Casa Civil, ainda, “conforme e-mail enviado em junho do ano passado, ao Sr. Thiago Maria, foi avisado que os estágios de demandas parlamentares (encaminhados na forma de lista de atualização de situação em arquivo digital) eram oriundos de anotações, o que significa que podem estar desatualizados. Assim, foi solicitado a sua atualização pela Prefeitura, e passou a aguardar documentos, o que não foi encaminhado pela Prefeitura, isso, portanto, já na gestão do prefeito João Victor Barboza. Diante da falta de iniciativa da Prefeitura para resolver a parte burocrática, a emenda com o repasse do recurso obtido pela deputada Professora Bebel “está cancelada por insuficiência técnica documental”, esclarece  Roger Willians, subsecretário Subsecretaria de Articulação Política da Casa Civil.

Read Previous

Movimento dos professores paralisa mais de 60% das escolas estaduais da cidade contra nova carreira

Read Next

Decreto dispensa uso de máscara em locais fechados de Águas de São Pedro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.