Encontro Busca a Indicação de Procedência do Café de Torrinha

Encontro Busca a Indicação de Procedência do Café de Torrinha

Cafeicultores, autoridades, representantes da sociedade civil e representantes do Sebrae se reuniram, na noite da última segunda-feira, 13, na Casa da Cultura para mais uma etapa na busca do selo de certificação do café torrinhense.

O objetivo do encontro foi explanar aos presentes, de modo especial os produtores, as cinco fases já concluídas das 12 previstas no andamento completo do projeto, além de convidar mais cafeicultores do município a aderirem a iniciativa.

Alcançado o objetivo, Torrinha deverá ser a sexta cidade a possuir o selo de IG (Identificação Geográfica), explicou André Sartori, do IFSP (Instituto Federal de São Paulo). Ele mostrou o caminho já percorrido e o que há pela frente. Garça está próxima de ser a quinta cidade a conquistar o selo. A Indicação Geográfica de Torrinha tem por finalidade reconhecer a notoriedade, reputação, qualidade e características típicas do produto e da sua produção, tendo como principal função, agregar valor ao produto final e principalmente proteger a região produtora, possuindo um papel fundamental na proteção histórica e cultural local.

O prefeito René Blumer mencionou os projetos que a Administração está desenvolvendo que vão de encontro ao apoio aos produtores rurais, valorização histórica, cultural e turística, entre elas o MIT – Município de Interesse Turístico, a criação da Rota do Café, eventos e feiras que visam fortalecer o segmento. Enfatizou ainda que a gestão irá auxiliar em tudo que for necessário, mas ,que a conquista será dos produtores torrinhenses.
A vice-prefeita Rose Vasselo e os vereadores Evaldo Spigolon, Marcozero, José Soares e Silvinha Manzato prestigiaram o evento, além dos diretores, Karina Sartori, do Desenvolvimento Econômico, responsável pelo andamento do processo; Ana Maria Polizel do Turismo e Cultura e Marcelo Serafim, da Administração. Os membros da Cafenato, associação que também integra as ações desde o início também estiveram presentes.

Representando o Sindicato Rural, Renata Cassola relatou o trabalho desenvolvido há anos pela entidade e que deve se fortalecer, como por exemplo as avaliações das amostras dos cafés dos produtores locais para diversos concursos e a realização de diversas capacitações ao longo do ano, sendo um importante apoio e incentivo a produção local.

O Sebrae, através da sua gerente Michele, e os consultores Amanda e Luiz, ofereceram todo apoio técnico, capacitações e outros suportes para os produtores. A adesão ao programa pode ser feita por todos os cafeicultores das diversas regiões do município.

Todo o espaço foi ambientado contando um pouco da história do café com fotos e objetos cedidos e montados pela artesã Kátia Buzato, que aproveitou para servir um cafézinho aos presentes do sítio do seu esposo, Oswaldo Dias Ramos, o Café São José. Outros produtores também expuseram os seus cafés embalados. O café torrinhense já foi reconhecido em diversos concursos estaduais de qualidade.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta