Vamos conversar sobre rejuvenescimento íntimo feminino?

*Simone Neri, dermatologista

Estamos vivendo mais e melhor e torna-se imperativo abordar a sexualidade para atingirmos um patamar de bem estar físico e emocional. A Organização Mundial da Saúde reconhece como um dos pilares da qualidade de vida, o estado de bem-estar físico, emocional, mental e social relacionado à sexualidade.

Sabemos que é uma condição humana que começa a se formar na infância e continua sendo construída na adolescência, manifestando-se diferentemente nas diversas fases da vida. Porém, com o envelhecimento, várias alterações vão ocorrendo no organismo feminino devido às variações hormonais decorrentes da menopausa. A diminuição da libido associada a uma flutuação pronunciada na testosterona total ao longo do tempo pode causar secura vaginal e distúrbios orgânicos como dispareunia (dor durante a relação sexual), incontinência urinaria, infecções de repetição etc. A disfunção sexual é uma desordem complexa, relacionada a fatores fisiológicos e psicossociais, exigindo uma investigação profunda.

Nos últimos anos houve um incremento nos estudos de Medicina Sexual, começando pela mudança da definição de resposta sexual feminina por Rosemary Basson, MD, University of British Columbia and Vancouver Hospital, como um modelo circular, diferentemente da masculina, que é linear.

A sexualidade segundo Basson preconiza que o desejo sexual da mulher surge não tanto pela estimulação hormonal e genital, mas do nível de excitação subjetiva que não tem relação direta com a lubrificação e a vasocongestão, mas depende de um ciclo onde incluem vários fatores como a energia, autoestima, imagem corporal, saúde física, intimidade emocional, comunicação sexual e não sexual, sensação de privacidade e segurança e crenças e mitos do que é “normal” no sexo.

Então, pensando em qualidade de vida, mantermos hábitos alimentares saudáveis, exercício físico e um cuidado com a imagem pessoal podem ser considerados fundamentais para manter esse ciclo saudável.

O mercado de fármacos para o tratamento do desejo sexual hipoativo feminino, além de tratamentos para melhora da lubrificação vaginal, e tratamentos para rejuvenescimento íntimo são bastante promissores. Surgiram tratamentos modernos como o laser endovaginal de érbiun que se propõe a melhorar a lubrificação vaginal por meio da renovação da pele da mucosa, além de melhorar o tônus da parede da bexiga, melhorando concomitantemente o ressecamento vaginal e a incontinência urinária. Associado a esse tratamento pode-se realizar clareamento da região da virilha, além de preenchimento com ácido hialurônico para melhora da estética externa e bioestimulador de colágeno.

A Dermatologia da maturidade é um caminho novo que promete um upgrade na qualidade de vida sexual de muitas mulheres.

– Dra. Simone Neri – DERMATOLOGISTA – CRM 80.919 – Possui 25 anos de formação em Clínica Médica e em Dermatologia. É graduada em Medicina pela Universidade de Santo Amaro UNISA, possui residência em Clínica Médica pela Universidade de Santo Amaro UNISA, residência em Dermatologia pela Universidade de Santo Amaro UNISA, é ex-preceptora do Ambulatório de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro UNISA, médica plantonista do Pronto Socorro do Hospital São Luiz, ex-coordenadora médica do Pronto Socorro do Hospital São Luiz Anália Franco.  Participa ativamente de Congressos, tanto como ouvinte quanto como palestrante e destaca-se na área de Cosmiatria e Estética com expertise no manejo de Preenchedores, Toxinas e Lasers, sendo uma das poucas profissionais da área a dominar a técnica consagrada de MD Codes de harmonização facial. Na área de inovações em técnicas cirúrgicas, participou de um grupo de estudos no Instituto Butantã no tema Toxina Botulínica em Processos Inflamatórios do Couro Cabeludo, com apresentações em Congressos Nacionais e Internacionais. Já na área da Dermatologia Clínica investe exaustivamente em atualizações científicas, com tratamentos inovadores como os chamados Medicamentos Imunobiológicos em doenças crônicas como Psoríase e Hidrosadenite. Atualmente é dermatologista em consultórios próprio nas cidades de Osasco-SP e São Paulo-SP.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta