Vereadores propõem medidas voltadas para educação: alfabetização de idosos e aumento de auxílio a estudantes universitários de Torrinha

Vereadores propõem medidas voltadas para educação: alfabetização de idosos e aumento de auxílio a estudantes universitários de Torrinha

Vereadores propõem medidas voltadas para educação: alfabetização de idosos e aumento de auxílio a estudantes universitários de Torrinha

Nesta semana, os Vereadores de Torrinha, Fabiano Redondo Costa (PSL), Samy Rogério Lizieiro (Podemos), Edson Marcelo Cassola, o Mazé (PSDB), Rodolfo Buzato (MDB) e Evaldo Spigolon, o Capri (Podemos) – presidente da Câmara Municipal, propuseram medidas voltadas para a educação: alfabetização de idosos e aumento de auxilio a estudantes universitários.

Na Indicação nº 55/2021 eles indicaram ao Executivo Municipal que seja criado um projeto voltado para a alfabetização dos idosos que não sabem ler e a escrever.

Os vereadores destacaram a importância da medida proposta.

“A alfabetização é uma poderosa ferramenta de justiça social e está diretamente ligada à qualidade de vida do ser humano. Por trás da baixa taxa de alfabetização dos idosos de nossa cidade, existe todo um contexto histórico e social de luta, dedicação e de muito trabalho pesado. A maioria dos idosos que não foram alfabetizados, foi em decorrência da falta de oportunidade durante a infância, uma vez que, os mesmos eram obrigados a abandonar os estudos e para ir trabalhar na roça. Somente com o passar dos anos e com o desenvolvimento social a nível nacional é que a população brasileira começou a ser tratada com dignidade e com o respeito que todo ser humano merece e com isso o cenário passou a evoluir nas pautas sociais e educacionais. Em que pese o Ensino de Jovens e Adultos (EJA) ofertado em nosso município seja notoriamente reconhecido pela excelente qualidade do ensino prestado pelos servidores da rede municipal, as exigências e requisitos como o horário de aula no período noturno, a assiduidade nas aulas, matricula obrigatória e continuidade para obtenção do diploma, não atraem os idosos que muitas vezes tem o sonho de aprender a ler e escrever. Assim a administração municipal, por intermédio dos respectivos Departamentos competentes, poderá aproveitar o período da vigência do Estado de Calamidade Pública e planejar o desenvolvimento deste projeto, adotando as medidas cabíveis para que o de alfabetização dos idosos tenha início após o término da Pandemia do Covid-19”, destacaram os vereadores.

Eles citam ainda que diversos locais poderiam ser utilizados como referência para o desenvolvimento do projeto: Centro de Convivência do Idoso, Centro Comunitário, Estação Ferroviária, entre outros e sem deixar de fora a zona rural, destacando também que a administração poderia fazer parcerias com as igrejas do nosso município ou com entidades sociais e também com iniciativa privada para fixar um local de atendimento.

“A alfabetização poderá ser realizada sobre a orientação e coordenação de um profissional devidamente capacitado, que possua formação academia específica para esses fins, possibilitando ainda a participação de voluntários, estudantes e demais interessados. O ensino seria ofertado de forma gratuita aos idosos e eles teriam o direito de ir no dia, horário e local que pudessem, bem como, solicitar o transporte público para a Prefeitura, esta metodologia irá permitir que os idosos se sintam livres para buscar o aprendizado da forma que for mais conveniente e oportuna, respeitando sempre a capacidade máxima de pessoas por local”, reforçaram os autores.

Já na Indicação nº 56/2021 os parlamentares solicitam que seja realizado um estudo sobre os valores empenhados relacionados ao transporte de alunos do ensino superior, no sentido de aumentar o valor pago, assim que voltar as aulas presenciais.

“Atualmente por conta da pandemia, os estudantes do ensino superior estão tendo aulas de forma remota, ou seja, de forma online. Em virtude disto, caso as aulas presenciais não voltem ainda este ano, o Poder Público irá economizar o valor empenhado para o pagamento do reembolso estudantil, na soma aproximadamente de 270 mil reais, conforme consta no portal da transparência. No entanto, caso as aulas voltem ainda esse ano, indicamos ao Prefeito que aumente o repasse do reembolso aos estudantes, considerando que não houve gastos desta natureza ainda este ano e o valor empenhado seria suficiente para ajudar os estudantes neste momento de dificuldade econômica e financeira que todos enfrentam. No entanto, se o ensino presencial iniciar apenas o ano que vem, a prefeitura terá condições financeiras e orçamentárias para realizar o aumento da porcentagem do reembolso, uma vez que, somado o saldo existente de 2021 com os valores de 2022, o Poder Público poderá oferecer um suporte maior ainda aos estudantes. Reforçamos e defendemos nosso posicionamento de que cada centavo investido na educação, nunca é demais e por ser expressão também da vontade população torrinhense esta indicação deverá ser atendida e realizada”, destacaram.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta