Casa da Agricultura de São Pedro mantem parceria com Sindicato Rural de Charqueada

A Casa da Agricultura de São Pedro, vinculada à CATI Regional Piracicaba, dará continuidade as parcerias visando a realização de atividade voltadas, principalmente, aos produtores das duas principais cadeias produtivas do município: olericultura e bovinocultura de leite.

Para o fortalecimento da olericultura no município foi realizada no mês passado uma reunião entre a Casa da Agricultura de São Pedro e o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), através do Sindicato Rural de Charqueada, onde ficou acertada a continuidade da parceria que ocorre desde 2016 para proporcionar diversas atividades com os produtores rurais de São Pedro.

Para o ano de 2019 foi estabelecido de inicio o curso de longa duração de “Olericultura Orgânica” e o curso de “Tomate Orgânico”.

Esses cursos estão inclusos no Projeto Regional de Olericultura do EDR de Piracicaba e para ambos já foi realizada a reunião de mobilização, onde foi definido o cronograma, o local de realização e feita a seleção dos participantes.

“Pelo 4º ano estamos oferecendo o curso de Olericultura Orgânica e pelo 2º ano do curso de Tomate Orgânico, contudo este ano tivemos alteração no instrutor e verificamos que houve um aumento expressivo na procura dos cursos. O curso de Olericultura Orgânica será realizado junto ao Sitio Recanto do Jatobá e o Curso de Tomate Orgânico será realizado junto a Chácara da Figueira. Ambas propriedades são atendidas pelo Projeto Cati Olericultura e estão realizando a chamada “transição agroecologia”, bem como são propriedades que participam da feira-do-produtor realizada no município. Assim sendo, continuamos com a estratégia de união das políticas publicas voltadas ao setor” completo o Eng. Agr. Leandro Biral, responsável pela Casa da Agricultura de São Pedro.

Outra cadeia a ser trabalhada ao longo de 2019 será a da bovinocultura de leite, para a qual destacam-se as parcerias com a

A Casa da Agricultura de São Pedro, vinculada à CATI Regional Piracicaba, dará continuidade as parcerias visando a realização de atividade voltadas, principalmente, aos produtores das duas principais cadeias produtivas do município: olericultura e bovinocultura de leite.

Para o fortalecimento da olericultura no município foi realizada no mês passado uma reunião entre a Casa da Agricultura de São Pedro e o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), através do Sindicato Rural de Charqueada, onde ficou acertada a continuidade da parceria que ocorre desde 2016 para proporcionar diversas atividades com os produtores rurais de São Pedro.

Para o ano de 2019 foi estabelecido de inicio o curso de longa duração de “Olericultura Orgânica” e o curso de “Tomate Orgânico”.

Esses cursos estão inclusos no Projeto Regional de Olericultura do EDR de Piracicaba e para ambos já foi realizada a reunião de mobilização, onde foi definido o cronograma, o local de realização e feita a seleção dos participantes.

“Pelo 4º ano estamos oferecendo o curso de Olericultura Orgânica e pelo 2º ano do curso de Tomate Orgânico, contudo este ano tivemos alteração no instrutor e verificamos que houve um aumento expressivo na procura dos cursos. O curso de Olericultura Orgânica será realizado junto ao Sitio Recanto do Jatobá e o Curso de Tomate Orgânico será realizado junto a Chácara da Figueira. Ambas propriedades são atendidas pelo Projeto Cati Olericultura e estão realizando a chamada “transição agroecologia”, bem como são propriedades que participam da feira-do-produtor realizada no município. Assim sendo, continuamos com a estratégia de união das políticas publicas voltadas ao setor” completo o Eng. Agr. Leandro Biral, responsável pela Casa da Agricultura de São Pedro.

Outra cadeia a ser trabalhada ao longo de 2019 será a da bovinocultura de leite, para a qual destacam-se as parcerias com a COOPAMSP – Cooperativa de Produtores Agropecuários de São Pedro e com a APTA – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, como explica o Eng. Agr. Mauricio Perissinotto, responsável pelo projeto em São Pedro.

“Em 2019 daremos continuidade ao Projeto Qualidade do Leite, onde mensalmente amostras de leite são coletadas e analisadas para que seja emitido um relatório técnico, que avalia os aspectos da propriedade em termos de qualidade do leite, manejo e nutrição. Essas informações são repassadas aos produtores em visitas mensais. Além dessas etapas mensais estão previstos dias de campo trimestrais, sendo o primeiro já agendado para o mês de março”, destaca.

“Outras atividades previstas são visitas as propriedades leiteiras para aplicação/atualização do Protocolo de Boas Práticas Agropecuárias e também a coleta de carrapatos para realização do biocarrapaticidograma. Esse exame, que será realizado em fevereiro, tem como objetivo obter informações precisas sobre a ação dos carrapaticidas na população de carrapatos analisada, identificando qual o grupo químico do carrapaticida que o produtor precisa usar e a frequência nos tratamentos para que haja o controle efetivo, tornando o monitoramento das infestações mais simples e segura” completou Mauricio Perissinotto.

“Espera-se que com essas parcerias e continuidades das políticas públicas, São Pedro continue se destacando regionalmente como um pólo de tecnologia voltada ao homem do campo”, finalizou Leandro Biral.

 

– Cooperativa de Produtores Agropecuários de São Pedro e com a APTA – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, como explica o Eng. Agr. Mauricio Perissinotto, responsável pelo projeto em São Pedro.

“Em 2019 daremos continuidade ao Projeto Qualidade do Leite, onde mensalmente amostras de leite são coletadas e analisadas para que seja emitido um relatório técnico, que avalia os aspectos da propriedade em termos de qualidade do leite, manejo e nutrição. Essas informações são repassadas aos produtores em visitas mensais. Além dessas etapas mensais estão previstos dias de campo trimestrais, sendo o primeiro já agendado para o mês de março”, destaca.

“Outras atividades previstas são visitas as propriedades leiteiras para aplicação/atualização do Protocolo de Boas Práticas Agropecuárias e também a coleta de carrapatos para realização do biocarrapaticidograma. Esse exame, que será realizado em fevereiro, tem como objetivo obter informações precisas sobre a ação dos carrapaticidas na população de carrapatos analisada, identificando qual o grupo químico do carrapaticida que o produtor precisa usar e a frequência nos tratamentos para que haja o controle efetivo, tornando o monitoramento das infestações mais simples e segura” completou Mauricio Perissinotto.

“Espera-se que com essas parcerias e continuidades das políticas públicas, São Pedro continue se destacando regionalmente como um pólo de tecnologia voltada ao homem do campo”, finalizou Leandro Biral.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta