SAAESP inicia operação experimental na nova estação de tratamento de esgoto em São Pedro

SAAESP inicia operação experimental na nova estação de tratamento de esgoto em São Pedro

Começou a funcionar em caráter experimental no último dia 6 de abril, a nova estação de tratamento de Esgoto em São Pedro ETE – Samambaia, construída pelo Serviço Autônomo de Águas e Esgoto de São Pedro – SAAESP, com recursos do Fehidro – Fundo Estadual de Recursos Hídricos.

O município recebeu aproximadamente 14,3 milhões para a construção da nova ETE.

Em 2018, o prefeito Helinho Zanatta esteve com o então secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Edson Giriboni, em São Paulo, quando recebeu o Projeto Executivo para instalação da Estação de Tratamento de Esgoto da bacia Samambaia. Por meio do Programa Água Limpa, São Pedro faz parte do grupo de 21 municípios do interior paulista que recebeu projetos de adequação, ampliação e construção para ETEs. Com essa conquista, a cidade poderá atingir a marca de 90% do esgoto produzido na cidade. Reforçando a meta de ser o primeiro estado do Brasil a universalizar o tratamento de esgotos, o governo de São Paulo busca a implementação de sistemas de afastamento e tratamento de esgotos em municípios com até 50 mil habitantes. Na ocasião, além de São Pedro, Altinópolis, Brotas, Corumbataí, Dois Córregos, Gavião Peixoto, Herculândia, Igaraçu do Tietê, Irapuru, José Bonifácio, Jumirim, Luíz Antonio, Monte Alegre do Sul, Motuca, Nova Europa, Pradópolis, Saltinho, Santa Lúcia, Ubarana, Valparaíso e Vera Cruz também foram contempladas. Naquela oportunidade, o engenheiro e assistente técnico do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Pedro (Saaesp), Thiago Seydell, falecido recentemente deu a seguinte declaração: Desde o mês de março deste ano, a Estância já conta com o licenciamento ambiental para receber a estação do Samambaia. “Estamos na fase final do processo de aquisição da área e aguardando a outorga da ETE”. Com a expectativa de tratar cerca de 90% do esgoto produzido na cidade, incluindo o da Estação do Horto Florestal, a nova estação contempla um sistema moderno, com tecnologia avançada e prevê o trabalho nos próximos 20 anos, com a estimativa de 50 mil habitantes. “Trata-se de um sistema de tratamento holandês, com material de última geração, e sem nenhum custo para o município, que irá se beneficiar até 2033”. Elaborado pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), o projeto executivo previu a construção de uma estação compacta, a serem executadas em duas etapas, com reatores anaeróbios e aeróbios; sistema de desinfecção por meio de hipoclorito de sódio; tanque de contato; sistema de desaguamento do lodo por meio de decanter centrífugo (separação contínua e homogênea de sólidos e líquidos); e estruturas complementares; uma estação elevatória e 2,5 mil metros de linha de recalque; 80 metros de coletor de interligação. “É sem dúvida uma grande conquista para nossa cidade, que hoje não tem nem 10% do esgoto tratado. Após a contemplação deste projeto, teremos o apoio do Fehidro para elaboração do projeto executivo para um coletor de emissário da bacia do Rio Pinheirinho, que futuramente também será lançando na estação do Samambaia”, explicou a época o prefeito Helinho Zanatta, ao ressaltar que com mais projeto, São Pedro terá 100% do esgoto coletado tratado.

Nossa equipe de reportagem entrou em contato com o vice-prefeito e presidente do SAAESP Thiago Silva e conseguiu algumas informações sobre o início da operação da nova estação.

“Não fizemos uma inauguração da nova Estação de Tratamento de Esgoto – ETE Samambaia, o que fizemos foi iniciar as atividades para que possamos realizar os ajustes e buscar a regularização junto aos órgãos competentes, por isso ainda não divulgamos nada a respeito”, disse Thiago Silva.

“O que posso adiantar é que Prefeito Helinho Zanatta, assim como Eu e nossa administração estamos muito contentes com os primeiros resultados. Em breve estaremos fazendo uma divulgação oficial contendo mais dados técnicos. A partir de agora 100% do esgoto coletado passa a ser tratado e não mais despejado in natura em nossos ribeirões como acontecia antes”, afirmou o vice-prefeito e presidente do SAAESP Thiago Silva.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta