É grande o número de pessoas que faltam nas consultas médicas em São Pedro

É grande o número de pessoas que faltam nas consultas médicas em São Pedro

 

Índice de faltas fica próximo dos 30%

 

Em 2019, foram realizadas 81.174 consultas médicas de atenção básica e atenção especializada na rede municipal de saúde São Pedro, mas este número poderia ser maior, já que no mesmo período foram registradas 32.255 pessoas faltaram às consultas, o equivalente a 28,5% do total, consideradas as consultas efetivadas e as faltas.

Os números estão em levantamento da Secretaria Municipal de Saúde e Desenvolvimento Social que mostram também que no ano passado 21.659 consultas foram canceladas pelos usuários do SUS.

Quando os pacientes de São Pedro são encaminhados para os AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidade), a situação não muda muito. No ano passado, segundo dados do CROSS (Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde), órgão da Secretaria Estadual de Saúde, foram registradas 3.348 consultas nos AMEs e 621 faltas, o que representa 15,6% do total. Para os exames nos AMEs, o registro é de 3.648 realizados e 572 faltas, o que representa 13,5%.

Nos exames feitos em São Pedro, novo motivo de preocupação. No caso dos ultrassons, por exemplo, foram registradas 836 faltas de fevereiro a dezembro de 2019, 11,7% dos 6.285 exames realizados ao longo do ano.

Há ainda falta registrada em outros serviços oferecidos na rede, como os atendimentos odontológicos. Em 2019, foram 12.295 consultas e atendimentos e 3.226 faltas, índice de 20,8%.

No CER, o maior índice de faltas de 2019 é no serviço de terapia ocupacional: 30%, seguido pela fisioterapia (22,6%), fonoaudiologia (22,2%) e psicologia (10%).

Quando se fala em atendimento no serviço público de saúde, umas das observações mais comuns é a demora em conseguir agendar consultas e exames e este índice de faltas contribui para piorar esta situação.

O alto índice de faltas preocupa os gestores da Saúde. “Quando o usuário falta, prejudica todos: outros pacientes que esperam pelo atendimento, profissionais de saúde e ele mesmo, que vai precisar marcar nova consulta”, destaca a secretária municipal de Saúde e Desenvolvimento Social, Miriam Souza, que lamenta também a falta em exames. “Acontece de o paciente retirar o material para o preparo prévio de um exame, como o caso da colonoscopia, por exemplo, e faltar ao exame. Fica  inviável substituir o paciente”, informa.

A falta a consulta e exames não é um problema exclusivo de São Pedro. Estima-se que em média o índice de absenteísmo – faltas – esteja próximo de 30% em todo o país.

Estudos sobre o tema apontam que o absenteísmo compromete a capacidade de marcação de consultas de uma unidade de saúde, dificulta o acesso de outros usuários ao sistema de saúde, acarreta aumento do prazo de espera para a realização de uma determinada consulta e gera gastos financeiros, já que na maioria das vezes o serviço é pago pelo município mesmo quando o usuário não comparece a um atendimento agendado.

Mais do que prejudicar o dia de atendimento, as faltas injustificadas de pacientes sem qualquer comunicação prévia em consultas ou exames agendados compromete a eficiência do serviço. As consequências atingem todos os usuários do Sistema de Saúde.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta