Desde 2013 IDEB registra crescimento de 22% em São Pedro

Desde 2013 IDEB registra crescimento de 22% em São Pedro

O Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Brasileira) de São Pedro para o segundo ciclo do ensino fundamental aumentou 22% entre 2013, quando o índice foi 4,5; e 2019, com 5,5. Nos anos iniciais também houve avanço – de 5,7 para 6,5 – o que representa evolução de 14%. Em ambos os casos, os registros obtidos superam as metas estabelecidas para 2021.

Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação. As metas também são estabelecidas pelo Inep, com base em características como população, alunos matriculados e escolas.

Na região do Aglomerado Urbano de Piracicaba, formada por 23 municípios, São Pedro é uma das cinco cidades que atingiu a meta para os anos finais. Também estão neste grupo Piracicaba, Águas de São Pedro, Conchal e Corumbataí. Como algumas cidades não municipalizaram o ensino até o 9º ano, foram usados dados disponíveis no item rede pública, que inclui as redes federal, estadual e municipal. Nos anos iniciais, apenas cinco cidades – Ipeúna, Rio Claro, Analândia, Corumbataí e Rio das Pedras não conseguiram atingir a meta.

O índice varia de 0 a 10 e para ter um bom Ideb é preciso ter baixas taxas de retenção (reprovação) e de abandono de estudos, além de resultados satisfatórios no Saeb, prova de avaliação realizada a cada dois anos pelo governo federal com objetivo de realizar um diagnóstico da educação básica brasileira e de fatores que podem interferir no desempenho do estudante.

Em São Pedro, foram registrados em 2019, 40 casos de evasão escolar em um universo de 3.969 alunos – 2.207 do fundamental 1 e 1.767 do fundamental 2. No caso da retenção, a taxa foi de 4,9% no fundamental 1 e 8,3% no fundamental 2.

A avaliação é aplicada sempre no fim de cada etapa escolar: 5º e 9º anos do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio. 2021 será o último ano deste ciclo do Ideb. No ano que vem, novas projeções serão feitas para os próximos quatro anos.

Resultados: Para a secretária municipal de Educação, Cléia Rivero, são dois os principais fatores que contribuíram para a evolução do índice: qualificação dos professores, com realização de diversos seminários e núcleos por disciplina e capacitação específica para a operacionalização do currículo paulista, ao qual São Pedro fez adesão. “Em 2019 elaboramos a proposta educacional de São Pedro tendo como base a Base Nacional Comum Curricular, complementado com o currículo paulista e o currículo local”, disse.

O êxito dos resultados, destaca também a secretária, é resultado de todo empenho da equipe de gestão e o trabalho comprometido dos professores. “Agradeço de maneira especial toda a rede municipal de educação por esta conquista”.

O prefeito Helinho Zanatta parabenizou todos os colaboradores da Secretaria de Educação pelos índices. “A educação sempre foi prioridade porque por meio dela podemos mudar o futuro. Observar os avanços é motivo de alegria e agradecimento a toda uma equipe que se dedica a fazer esta diferença”.

DESTAQUES – Entre os índices registrados pelas Emebs de São Pedro, destacam-se a evolução de algumas escolas, como a Ricarda de Paiva Lima Berzin, que passou, nos anos iniciais, de 3,6 em 2007 para 6,0 em 2019 e anos finais, de 2,2 em 2007 para 5,1 em 2019; a Celso Silveira Mello, passou, nos anos finais, de 5,4 em 2017 para 6,4 em 2019 e a Ondina Mendes Parreira, que passou de 4,9 em 2013 para 6,8 em 2019 nos anos iniciais e nos anos finais, de 3,9 em 2017 para 5,2 em 2019.

Os índices mais altos de 2019 foram registrados nas Emebs Gustavo Teixeira e Maria de Fátima do Amaral, que registraram 7,2 nos anos iniciais e Iracy Bertochi, com 7,0. Nos anos finais, o índice mais alto de 2019 foi registrado pela Emeb Gustavo Teixeira, com 6,6, seguida pela Celso Silveira Melo, com 6,4.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta