Concluídas as obras da Unidade Básica de Saúde nos Residenciais São Pedro e São Francisco – em São Pedro

Concluídas as obras da Unidade Básica de Saúde nos Residenciais São Pedro e São Francisco – em São Pedro

A Prefeitura de São Pedro concluiu a obra de mais uma Unidade Básica de Saúde, a dos Residenciais São Pedro e São Francisco, loteamentos recém construídos que abrigam 790 residências. Será a sétima UBS do município. A obra segue o planejamento estratégico da gestão do prefeito Helinho Zanatta e as ações previstas na Agenda 2025, que incluem também a construção de outra unidade, no Jardim Primavera, que também está bem próxima da conclusão.  Nas obras em andamento, o investimento é de aproximadamente R$ 1,6 milhão, valor que inclui recursos municipais e do Ministério da Saúde.

Com a pandemia, a nova unidade de saúde, que deve atender aproximadamente 4.500 moradores dos Residenciais São Pedro e São Francisco e do entorno, também poderá ser usada em caso de necessidade para atendimento de pacientes. O atendimento regular ao público está previsto para o segundo semestre.

A construção da UBS (Unidade Básica de Saúde) nos bairros é também um apontamento das Conferências Municipais de Saúde e medida recomendada pelo SUS (Serviço Único de Saúde). A nova unidade tem consultórios médicos e odontológicos, sala de curativos, de vacinas, sala de esterilização, inalação além de sala de atividades coletivas, recepção e espera.

Com a construção destas unidades, São Pedro passará a ter oito unidades básicas de saúde, além de especializadas, como a UMIS – Unidade Mista e Integrada de Saúde, CER – Centro Especializado em Reabilitação e o CAPS – Centro de Atenção Psicosocial. Ao todo, serão mais de 20 bairros atendidos.

Atenção básica reforçada: A construção de UBSs fortalece a atenção básica na saúde e estas ações têm resultados práticos como a que indica que as internações sensíveis à atenção básica – aquelas ligadas à hipertensão, diabetes, diarreia, anemia e outras – caíram de maneira significativa nos últimos anos. O número passou de 537 em 2014 para 144 em 2018, queda de 73,19%.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta