Vereadores votam contra projeto que prevê o recapeamento de 25 ruas em VereadoresVereadores

Vereadores votam contra projeto que prevê o recapeamento de 25 ruas em VereadoresVereadores

 

Em sessão extraordinária realizada nesta quarta-feira (5/08), a maioria dos vereadores da Câmara de Vereadores de Rio das Pedras rejeitaram o Projeto de Lei que autorizava a Prefeitura a financiar R$ 2,1 milhões para serem aplicados no recapeamento de 25 ruas do Municipio. O projeto de Lei recebeu o voto catrario dos vereadores: Dr. Fernando, Leandro Penatti, Neiva Rúbia, Tutinho e Vanderley Canela, enquanto que Carlos Sicca, Edison Marconato, Ilzanete Nega e Nabuco Roncato votaram a favor. Por outro lado, foi aprovado por unanimidade outro PL que autoriza o financiamento de R$ 2 milhões para recapeamento de uma única via: Avenida Carolina Mendes Thame, no bairro Recanto Universitário.

“Rio das Pedras viveu dias difíceis, sete anos sem CND (Certidão Negativa de Débitos), sem poder receber recursos externos. Conseguir financiamento junto a um banco era impossível e, depois de pagar parte das dívidas e limpar o nome da cidade, recebemos a oferta de crédito. A Prefeitura ainda não tem recursos suficientes para realizar o recapeamento de ruas, mas tem como financiar essas importantes obras. Seria o mesmo que uma pessoa que tirou o nome do Serasa ter a condição de financiar a casa própria ao invés de pagar à vista, o que seria muito difícil. Os vereadores que votaram contra o projeto, na verdade votaram contra Rio das Pedras, contra melhorias importantes na cidade”, explicou o prefeito Carlos Defavari.

Caso o projeto fosse aprovado, 7,6 quilômetros das vias recapeadas seriam: Rua Maria C. V. Limongi, Rua João Augusti, Rua Holanda Cibim, Rua Marino Ernesto Montagnani, Rua Aradesco Bianchim, Rua Antonio Arzola Sobrinho e Rua Rafael Vitor Poncio (São Cristóvão), Rua Antônio José Pimpinato, Rua Henrique Rubia, Rua Aristeu Macedo de Souza, Rua Euclides Guidolim e Rua Leonel Giovaninni (Bom Jardim), Maria Borth Rosineli (Bom Retiro), Rua Prudente de Moraes (Centro), Rua Professor Rolim, Rua Maria P. B. Cezarino, Rua Euclides Antônio Montagnani e Rua Jacinto Barrichello (Bom Jesus), Rua Ayrton Cipriano e Rua Regina Brambilla Rubinato (São Pedro), Rua Fausto G. Defavari (Pombal), Rua Erasmo Pascon (Cambará), Av. Rosina F. Coury (Dona Rosina), Rua Canciano Bonassa (Luiz Massud Coury), Av. Henrique Bonassa e Rua Angelo Domingos Cibim (Nosso Teto).

Muitos dos moradores dessas ruas já solicitaram melhorias no asfalto para a Prefeitura ou até mesmo para um dos vereadores que rejeitaram o financiamento. “Faz 17 anos que moro na rua Maria Pina Bortoletto Cezarino e nunca vi nenhuma melhoria, nem mesmo tapa-buraco. Eu já fiz reclamações pedindo melhorias e sei de outros vizinhos que também fizeram”, contou Miriam Balaminute, moradora do Bom Jesus.

O vereador Edison Marconato destaca que “o valor da parcela do financiamento seria muito pequeno, ainda mais pensando no benefício que os moradores dessas 25 ruas teriam. Não estamos falando de tapa-buracos e sim de recapeamento”. “Essa seria uma grande melhoria para os moradores de vários bairros, fizemos nossa parte votando a favor, mas infelizmente não foi aprovado por todos”, completa Ilzanete Nega. “Votei a favor pelo fato que o prefeito apresentou condições de pagamento a este investimento e os moradores seriam os mais beneficiados com essa infraestrutura, trazendo mais qualidade de vida a toda população”, finaliza Nabuco Roncato.

Somente neste ano, os vereadores apresentaram 101 indicações solicitando operações tapa buracos, 93 são dos vereadores que rejeitaram o financiamento: “É, no mínimo, incoerente a posição desses vereadores. Se pedem tantos tapa-buracos, deveriam ser a favor do recapeamento. Até porque o pagamento do financiamento teria valor muito menor do que é gasto com operações tapa buracos, com o serviço muito melhor executado. Não se trata de endividar o município e sim de investir no progresso, em melhorias para a população. Apresentamos o planejamento financeiro para pagamento do financiamento e ainda assim rejeitaram um financiamento já aprovado pelo Banco do Brasil”, finaliza o prefeito Carlos Defavari.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta