Prefeito Carlos Defavari participa de encontro de prefeitos e secretários de Saúde

O Prefeito de Rio das Pedras, Carlos Defavari se reuniu com outros 11 prefeitos e secretários das cidades da região na tarde da última quarta-feira (25), para debaterem assuntos relativos ao atendimento de saúde. O encontro foi realizado no gabinete do prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, quando foram expostos os problemas de cada município, evidenciando encontram situações semelhantes quanto a qualidade do atendimento prestado à população.

Estavam presentes no encontro os prefeitos de Águas de São Pedro, Capivari, Charqueada, Elias Fausto, Ipeúna, Mombuca, Rafard, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Maria da Serra e São Pedro, além do anfitrião Barjas Negri, e relataram que encontram dificuldades de transferir pacientes que necessitam de procedimentos de média e alta complexidade para Piracicaba, que é o município referência.

Em carta entregue ao prefeito Barjas Negri e secretário de saúde de Piracicaba, Pedro Mello, os prefeitos das 11 cidades expuseram a situação vivida e pediram o trabalho conjunto entre os municípios. “Para que não precisemos ‘fechar portas’ aos mais necessitados e nem repassar os custos aos municípios que formam o elo mais fraco desta cadeia econômica, mais sim construir uma efetiva participação regional no estabelecimento de redes de serviços, estabelecimento de protocolos e fluxos, queremos garantir que na prática os municípios aqui relacionados deixem de viver dificuldades como as observadas já no mês de janeiro, como solicitações não atendidas de liberação de vagas para casos graves e até os de média complexidade, que tem Piracicaba como referência”, diz um trecho do documento assinado pelos 11 prefeitos.

Prefeito Carlos Defavari participa de encontro de prefeitos e secretários de Saúde

Prefeito Carlos Defavari participa de encontro de prefeitos e secretários de Saúde – Foto: Pricila Alves/prefeitura de São Pedro

Pedro Mello, por sua vez, afirmou que Piracicaba tem arcado com custos que deveriam ser pagos pelo Ministério da Saúde e Governo do Estado. “Chegamos ao limite de nossa capacidade, deixamos de realizar cirurgias eletivas para atender apenas emergências. Os municípios da microrregião demandam seus casos para Piracicaba. No ano passado, subsidiamos o Ministério da Saúde com R$ 27 milhões, valor que deveria ser pago pelo Governo Federal. É preciso cobrar a revisão do teto da PPI (Programação Pactuada e Integrada) junto ao governo do Estado, que não é atualizada desde 2007.”

Em média, os municípios da região investem 29% de seus orçamentos na saúde, porcentagem muita acima da média nacional. Contudo, os recursos não estão sendo suficientes para bancar toda a demanda, que vem crescendo a cada ano. “Os procedimentos de média e alta complexidade são de responsabilidade do Ministério da Saúde, mas Piracicaba tem custeado boa parte dos atendimentos. Se a situação continuar desse jeito, no segundo semestre estaremos um caos. As tabelas pagas pelo Estado e União estão defasadas”, ressaltou Barjas Negri, que pediu união dos prefeitos para cobrar melhorias junto à Secretaria Estadual da Saúde e Ministério da Saúde.

Os 12 prefeitos se comprometeram a cobrar do Governo do Estado a celeridade do processo para inauguração do Hospital Regional. “Com ele em funcionamento, resolveríamos metade dos nossos problemas. Esta questão será colocada na mesa do secretário do Estado e do governador para que se posicionem e acelerem esse processo de colocar a unidade em funcionamento. Cada um dos prefeitos irá ligar na Secretaria da Saúde para agendar uma reunião com o secretário e iremos todos juntos”, garantiu Barjas Negri.

Paralelamente, os secretários municipais e gestores da saúde irão analisar opções para melhorar o atendimento. “Pensamos até mesmo na criação de um consórcio formado pelos municípios para a compra de medicamentos e procedimentos. Os hospitais menores, como o de Rio das Pedras, podem se tornar referência em determinados atendimentos, de acordo com a vocação e estrutura de cada um, e os municípios trocam procedimentos entre eles, reduzindo assim os custos operacionais”, explicou Carlos Defavari, que pediu aos executivos de Piracicaba a abertura de vagas para as demais cidades ao menos até que a próxima reunião sejam realizada.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta