Vereador José Longatto defende o prefeito Barjas Negri em sua fala na Tribuna da Câmara de Piracicaba

Durante a 34ª reunião ordinária da Câmara de Vereadores de Piracicaba, o vereador José Aparecido Longatto (PSDB) comentou o processo judicial respondido no TJSP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) pelo prefeito Barjas Negri, também do seu partido político.

“Nosso prefeito tem todo o direito de recorrer da decisão”, declarou o parlamentar.

Longatto informou que o processo está em andamento por causa da obra para a segunda etapa da Policlínica de Santa Teresinha, em 2006.

O processo se baseia em questionamentos administrativos, somente isso. No Tribunal de Contas do Estado não há trânsito em julgado do processo, não se comprova prejuízo ao erário ou enriquecimento ilícito.

“A rejeição dos embargos declaratórios é uma formalidade do processo, onde a defesa do prefeito questiona contradições de uma sentença. Por isso, cabe o recurso às esferas superiores. Por fim, a sua defesa ressalta a confiança no Poder Judiciário e em suas decisões, as quais vêm julgando corretamente improcedente outros processos”, declarou o vereador.

O vereador citou reportagens publicadas na imprensa local e que estão relacionadas ao prefeito.

Além disso, comentou detalhes da licitação para a segunda etapa da Policlínica de Santa Teresinha. Longatto disse que o entendimento do Tribunal de Justiça é que, no processo licitatório, a prefeitura não poderia cobrar das empresas alguns itens, entre eles prova de irregularidade junto à prefeitura, Estado e União, prova de regularidade dos pagamentos em dia dos tributos mobiliários e imobiliários, contratação pela própria empresa de engenheiros responsáveis e depósito de 1% do valor da obra na compra da pasta do edital.

“Estas regras tiveram um único objetivo: garantir a contratação de empresas idôneas, que tenham plenas condições de realizar a entrega da obra em tempo e condições acordadas, fazendo bom uso de dinheiro público”, definiu Longatto, ao reforçar que 12 empresas compraram a pasta e três disputaram a licitação, vencida pela que ofereceu o menor preço. “Houve disputa e não houve prejuízo de um centavo aos cofres públicos”, completou ele, que trouxe ainda detalhes do funcionamento da Policlínica, construída na primeira gestão de Barjas Negri.

Para Longatto, é costume que grupos e partidos procurem espaço ao sol no período que antecede as eleições para o Executivo e o Legislativo.

“O nome dele (Barjas) vai estar à disposição da população. No frigir dos ovos, quando a urna falar, vamos saber quem tem lenha para queimar e quem não tem. Até lá são meras esculações, idas e vindas, e a gente entende que a democracia permite que todos possam ser candidatos”, opinou.

O vereador também teceu elogios ao atual prefeito.

“Um homem do quilate do Barjas, que foi secretário da Educação e de Planejamento de Piracicaba, secretário estadual de Habitação, secretário adjunto da Educação e ministro da Saúde, é um homem que tem capacidade e que tem preparo. Quem tem três mandatos pode ter quatro, depende da população de Piracicaba”, destacou o parlamentar.

 

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta