Trabalhadores aprovam acordo para iniciar recebimento de rescisão da Via Ágil

Trabalhadores aprovam acordo para iniciar recebimento de rescisão da Via Ágil

Em votação secreta durante assembleia, nesta manhã de sexta-feira, 07 de agosto, 98,14% dos ex-trabalhadores da Via Ágil, de um total de 216 participantes, aprovaram acordo com a empresa com o objetivo de começarem a receber as verbas da rescisão trabalhista. A assembleia, coordenada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Urbano de Piracicaba, João Soares, foi realizada no salão do Clube do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba, contou com o apoio de dirigentes do Conselho das Entidades Sindicais de piracicaba (Conespi) e todos os participantes fizeram o uso de máscara e álcool em gel, e distanciamento, conforme recomendação das organizações sanitárias em função da pandemia do coronavírus.

O acordo aprovado pelos trabalhadores, sendo registrados 212 votos favoráveis, três contrários e um em branco, possibilita que a Prefeitura possa encaminhar projeto de lei à Câmara de Vereadores solicitando autorização para que o montante que o município tem ainda a repassar à Via Ágil possa ser utilizado para dar quitação às verbas rescisórias dos 609 trabalhadores demitidos. A Via Ágil vinha realizando o transporte público urbano da cidade, mas rompeu amigavelmente o contrato com a Prefeitura, alegando problemas financeiros, no início de maio deste ano.

Como a empresa alegou falta de recursos para quitar os débitos trabalhistas com seus ex-funcionários, o Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Urbano de Piracicaba conseguiu na Justiça uma liminar bloqueando o montante que a Prefeitura tinha que ainda fazer à empresa. “A gente vem negociando com a Prefeitura a melhor maneira para garantir que esse pagamento seja feito e esse acordo é fundamental para oficializar esse processo”, disse João Soares.

Para o presidente do Conespi e do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba e Região, Wagner da Silveira, o Juca dos Metalúrgicos, um acordo sem interferência da Justiça é o melhor caminho para que os trabalhadores possam receber os seus direitos. Ele citou que na cidade há inúmeras empresas que quebraram e que os trabalhadores foram à Justiça e ainda não receberam o que têm direito, posição reforçada por outros dirigentes sindicais, como o presidente do Sindicato dos Bancários e vice-presidente do Conespi, José Antonio Fernandes Paiva. Com a aprovação da assembleia e o encaminhamento do projeto à Câmara, para dar autorização ao prefeito, a expectativa é de que em setembro seja dado início ao pagamento das rescisões, conforme o volume de recurso que vier a ser disponibilizado pela Prefeitura.

Na assembleia, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Urbano de Piracicaba disse ainda que a entidade irá à Justiça para garantir que um terreno avaliado em cerca de R$ 12 milhões, pertencentes à Via Ágil, também seja dado em garantia para a quitação da dívida trabalhista.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta