Tingimento dos ovos na Colônia Tirolesa de Piracicaba

Tingimento dos ovos na Colônia Tirolesa de Piracicaba

Páscoa: a fé expressa através da arte

 

Para alguns a páscoa é o momento de se ganhar muitos ovos de chocolate; para outros tantos cristãos é o momento de celebrar a ressurreição de Jesus Cristo, mas para o os moradores da Colônia Tirolesa de Piracicaba, compostas pelos bairros Santana e Santa Olímpia, as comemorações de Páscoa também se tornam um momento de relembrar os costumes de seus antepassados.

Os descendentes tiroleses de Santana e Santa Olímpia carregam consigo o antigo costume dos ovos tingidos, tradição herdada de seus antepassados.

O tingimento dos ovos é feito a partir da fervura de ovos com matérias primas encontrada na natureza: como beterraba, casca de cenoura, casca de cebola, macela, losna,  dentre outros materiais da natureza.

Para o tingimento, utiliza-se de um pedaço de pano, onde ali montam um mosaico com flores do campo e folhas, cuidadosamente embrulham o ovo neste pano e o leva para ferver. A expectativa é grande, pois o resultado é sempre uma surpresa, quando as flores ficam marcadas na casca do ovo, formando figuras únicas e inimitáveis, verdadeiras obras de artes.

Antigamente, os pais e avós sentavam com seus filhos e netos na época da páscoa e montavam juntos seus ovos e presenteava seus filhos e netos com os ovos tingidos sempre mantendo a família unida na fé e tradição, e até  hoje este antigo costume vem sendo passado de geração para geração.

E desta forma, através da fé expressa pela arte, que a colônia tirolesa, mantêm viva uma tradição de grande representatividade não só para o povo de Santana e Santa Olímpia, mas também para o povo tirolês.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta