Responsabilidade sobre queda de ponte gera questionamento na Câmara de Piracicaba

Responsabilidade sobre queda de ponte gera questionamento na Câmara de Piracicaba

A queda, após a travessia de um caminhão carregado de cana de açúcar no dia 29 do mês passado, da ponte de madeira sobre o rio Corumbataí, localizada na área rural da Pitanga, entre o distrito de Tanquinho, em Piracicaba, e o distrito de Assistência, em Rio Claro, motivou questionamentos sobre quem agora será responsável pela recuperação da estrutura.

requerimento 451/2020, aprovado na 20ª reunião ordinária, nesta segunda-feira, dia 21, relata que a Prefeitura de Piracicaba informou que a ponte não pertence ao município e que fica no limite entre Ipeúna, Charqueada e Rio Claro. Já a Prefeitura de Rio Claro, segundo moradores “principalmente os agricultores, que necessitam utilizar a ponte e terão que trafegar cerca de 20 quilômetros a mais devido à queda, afirma que “tal responsabilidade compete à Prefeitura de Piracicaba”.

A propositura aprovada pela Câmara de Piracicaba pergunta ao Executivo Municipal qual cidade tem responsabilidade sobre a ponte que caiu e quais são os pontos de referência que indicam o limite entre Piracicaba e os demais municípios, acrescido do pedido para que sejam apresentados mapa e documentação legal que comprovem tais informações.

O requerimento também indaga se a Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento e a Defesa Civil de Piracicaba têm conhecimento sobre a queda da ponte de madeira e se fizeram contato com os Executivos de Rio Claro, Ipeúna e Charqueada “a fim de propor ações em conjunto visando à reconstrução da ponte, tendo em vista os transtornos atualmente causados aos moradores e principalmente aos agricultores”.

Além disso, a propositura quer saber quais providências foram adotadas e solicita cópia de documentos encaminhados até o momento. Em caso de resposta negativa, a pergunta é se existe a possibilidade de o governo local propor a realização de uma parceria com os municípios limítrofes a reconstrução conjunta da ponte.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta