Projeto Octo entrega 21 polvinhos à UTI Neo da Santa Casa de Piracicaba

Eles são lindos, coloridos, fofinhos e podem aumentar a sensação de conforto e segurança dos bebês

O processo de assistência humanizada direcionada pela UTI Neonatal da Santa Casa de Piracicaba aos cerca de 30 recém-nascidos que permanecem na Unidade ganhou reforço adicional com os 21 polvinhos de crochê confeccionados por voluntárias do Projeto Octo Piracicaba.

A entrega foi feita recentemente pela professora Fátima Possebon, 63, e sua filha Ana Paula Possebon, 33, ao coordenador do Núcleo de Captação de Recursos, Marcos Andrade, que agradeceu o gesto lembrando que a iniciativa ajuda a humanizar ainda mais a assistência.

As voluntárias contam que o projeto existe desde 2017 e que hoje reúne quatro crocheteiras que atuam de forma integrada, porém individual, em suas casas, para produzir os pequenos polvos por meio da técnica japonesa amigurumi, utilizada para criar pequenos bonecos em crochê ou tricô.

Cada polvo leva de uma a duas horas para ser confeccionado em linha 100% algodão e depois preenchido com enchimento siliconado. Segundo as voluntárias, o grupo produz em média 15 polvinhos por semana e destina a produção para alguns hospitais.

“O material vem, basicamente, das próprias voluntárias e de algumas empresas parceiras, como a Casa das Linhas, na Rua Rangel, que além de fazer um preço bem reduzido, doa parte do material”, explica D. Fátima.

Para ela, além de contribuir para que o recém-nascido sinta-se mais acolhido, a iniciativa também proporciona bem-estar e vitalidade às voluntárias. “Fazer o bem, faz bem”, disse.

Ao agradecer a doação, a Enfª coordenadora da UTI Neonatal, Maiby Parazzi, lembrou que o polvo ajuda a criar um ambiente lúdico e colhedor na UTI. Ela revela que a incubadora é um local aquecido em que o bebê permanece envolto em rolos e tecidos e que o polvo traz mais aconchego a este espaço.

“Eles são lindos, coloridos, fofinhos e podem aumentar a sensação de conforto e segurança dos bebês”, disse.

Foto- Fátima Possebon e sua filha Ana entregaram a doação a Marcos Andrade, do Núcleo de Captação de Recursos do Hospital

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta