Presidente da ACIPI entrega abaixo-assinatura ao vice-governador em favor do comércio de Piracicaba

Entre as medidas, a ACIPI pede o não fechamento total do comércio, bares e restaurantes

No sábado passado, dia 08, representando seus associados, o presidente da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba) entregou, em mãos, ao vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM), um abaixo-assinado, pedindo um olhar diferenciado do governo estadual para o funcionamento do comércio, bares e restaurantes.

A entrega ocorreu quando o vice-governador e também o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, estiveram na sede da entidade para audiência pública de criação da Região Metropolitana de Piracicaba.

Com cerca de 1.500 assinaturas, o documento pede ao governador João Doria maior sensibilidade e apoio em se tratando do fechamento desses estabelecimentos devido à pandemia.

O abaixo-assinado é uma iniciativa da Acipi, juntamente com o Simespi (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas, de Material Elétrico, Eletrônico, Siderúrgicas, Fundições e Similares de Piracicaba e Região), CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) Piracicaba, Apaflar (Associação Piracicabana Da Alimentação Fora Do Lar), Apapir (Associação da Indústria de Panificação e Confeitaria de Piracicaba e Região), Sincomércio Piracicaba (Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba e Região) e demais entidades de classe.

O presidente da Acipi, Luiz Carlos Furtuoso, ressalta que a iniciativa de colher as assinaturas, é uma forma de pedir apoio aos setores que foram tão prejudicados com a pandemia.

“Nossa preocupação sempre foi com a saúde, nunca deixamos de cumprir com os protocolos sanitários e de pensar no bem-estar dos trabalhadores e clientes. Não somos responsáveis pela transmissão da Covid-19. Só queremos trabalhar sem novos fechamentos. Se tivermos novos fechamentos, outros tantos estabelecimentos não suportarão e terão de encerrar suas atividades. Não podemos ter mais um problema, que será o de ordem econômica e social”, afirma.

Trecho do documento cita que “os micros, pequenos e médios empresários ou donos de pequenos negócios são os maiores geradores de emprego no Estado e no país”  e “tais trabalhadores e suas famílias estão sem amparo do poder público, não tendo sequer alimento, por mais básico que seja, para saciar a fome de seus filhos. Quem está colaborando mais uma vez, neste contexto, são as empresas e a população, que vem realizando, inclusive, campanhas de arrecadação de alimentos”

O empresário do ramo de alimentação Adenir José Graciani recolheu mais de 640 assinaturas.

Segundo ele, a participação no abaixo-assinado tem o objetivo de demonstrar ao governador as dificuldades enfrentadas neste período.

“A quantidade de pequenos e médios empresários que estão fechando as portas devido à situação do lockdown é grande e sentimos que isso é paliativo porque têm segmentos que continuam abertos e permitem o contato entre as pessoas, por exemplo. O que mais falta é conscientizar a população da maneira correta. Fizemos um esforço muito grande para nos manter até aqui e manter os empregos. Pedimos que repensem e vejam os números e isso não volte a acontecer”, afirma.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta