Prefeito Barjas Negri autoriza construção da sede do Jardim Botânico em Piracicaba

Prefeito Barjas Negri autoriza construção da sede do Jardim Botânico em Piracicaba

O prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB) assinou a abjudicação da licitação (atribuição legal à empresa vencedora do edital) para a construção da sede do Jardim Botânico de Piracicaba, no bairro Santa Rita.

A obra, que terá investimento de R$ 189 mil, sendo o “start” de um amplo projeto de conservação da flora regional, de lazer e de educação ambiental no município – será iniciada em breve. A sede deverá ser concluída no segundo semestre.

A criação do Jardim Botânico ocorreu por meio do Decreto Nº 17.377/2018. O empreendimento está sendo conduzido pela Prefeitura de Piracicaba, por meio da Sedema. O projeto contempla três áreas verdes da cidade: a região da lagoa do Santa Rita e duas áreas anexas ao Parque Engenho Central e ao Parque Natural da Cidade, no bairro Santa Teresinha. Juntas, elas compreendem 860 mil m².

Para a implantação do projeto – que conta com o apoio e a parceria da Associação Amigos do Jardim Botânico – foi criada a Comissão Interdisciplinar do Jardim Botânico de Piracicaba, que reúne membros do poder público, da academia e da sociedade civil. Essa comissão é composta pela analista ambiental Juliana Gragnani (coordenadora), pela arquiteta Claúdia de Lima Nogueira, pela engenheira agrônoma Clementina Rossin, por Vinícius Castro de Souza (biólogo da Esalq), João Neves Toledo, Marcelo Machado Leão e Urbano Campos Ribeiral Júnior, membro da Associação Amigos do Jardim Botânico.

O imóvel terá 100 m² e será o primeiro módulo construído na vasta área verde da região do lago do Santa Rita – território de cerca de 310 mil m² que ainda engloba o Viveiro de Mudas. Essa é uma das três regiões do munícipio que integrarão o complexo do Jardim Botânico de Piracicaba.

As outras duas são uma área anexa ao Parque Engenho Central e outra no Parque Natural da Cidade, em Santa Teresinha, às margens da rodovia Geraldo de Barros (SP-304).

“Esse módulo será uma estrutura para o recebimento e atendimento dos visitantes, já que as atrações principais estarão na área externa. Terá uma sala multiuso, uma área administrativa, uma pequena copa, área de armazenagem de equipamentos e banheiros acessíveis, atendendo à Norma Brasileira/NBR 9050, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)”, explica Cláudia de Lima Nogueira, arquiteta e urbanista da Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), pasta que será a responsável pela administração do Jardim Botânico.

A sede será construída na entrada do futuro Jardim Botânico, nas proximidades do entroncamento da rua Lívio Ferraciú com a avenida das Concepcionistas. Juliana Gragnani, coordenadora dos estudos para a implementação do Jardim Botânico, lembra que no entorno da futura instalação já houve o plantio de “um jequitibá-rosa que foi escolhido (por meio de votação popular) como a árvore símbolo do novo espaço”.

O local também é pontuado por duas paineiras.

O plano master para a construção do Jardim Botânico está em fase de conclusão.

“Mas assim que essa obra começar, também será iniciado o cercamento da área. Depois, então, serão feitas as trilhas e a locação das coleções, além de um projeto paisagístico nas proximidades da sede”, disse o secretário de Defesa do Meio Ambiente, José Otávio Menten. “Com isso o plano do prefeito Barjas Negri de fazer as obras aos poucos, mas de maneira consistente, está tendo sequência”, acrescentou.

O professor Vinícius Castro de Souza, biólogo e curador do herbário da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), já definiu quais serão as coleções botânicas que serão plantadas no entorno do lago. Vale lembrar que o especialista, e um dos parceiros do projeto, dedicou um capítulo de seu livro ‘Floresta Estacional – Guia das Plantas da Mata Atlântica’ ao vindouro Jardim Botânico de Piracicaba.

“Mas é importante a população ter ciência de que um jardim botânico se faz ao longo de muito tempo. Ele é muito mais complexo que um parque urbano, porque além de cumprir o seu objetivo principal que é a conservação da flora regional, também tem uma vocação relacionada à educação ambiental. Então, serão anos de amadurecimento. A construção da sede é o primeiro passo”, ressaltou Juliana Gragnani.

 

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta