Orquestra Sinfônica de Piracicaba se apresenta na Sala São Paulo

A OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba) se apresentará na Sala São Paulo, considerada como uma das mais importantes casas de concertos e eventos do país. Sob regência do maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular, o conjunto levará obras de Smetana e Borodin amanhã dia 26, às 11h00, na série Concertos Matinais.

Para o maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular da OSP, é fundamental que as orquestras do interior do país demonstrem a importância da descentralização da vida cultural. “Embora com 119 anos, a OSP teve seu projeto de reestruturação em 2015, e, desde então, sua qualidade atrai visitantes de várias cidades. Ao garantirmos nossa circulação para um local como a Sala São Paulo, expandimos nosso raio de atuação e comprovamos os bons frutos da música produzida no interior paulista”, diz o maestro.

Foto: Divulgação

A secretária da Ação Cultural e Turismo, Rosângela Camolese, diz ser importante que a música produzida em Piracicaba circule por outras cidades. Como exemplo, ela lembra que a cidade sempre foi conhecida por despontar músicos em orquestras no Brasil e no exterior. “Esse convite demonstra que a OSP, além de suprir a população da cidade com uma programação de qualidade, se encarrega de levar culturalmente o nome do município a outros locais”, avalia Rosângela.

Como a ida dos músicos ocorre logo na manhã de domingo, o concerto mensal em Piracicaba teve seu horário alterado para uma única apresentação, às 18h de sábado (25), no Teatro Municipal Dr. Losso Netto. Os ingressos estarão disponíveis uma hora antes da sessão, na bilheteria do teatro. O ensaio geral deixará de ser aberto, excepcionalmente em maio.

Tanto o programa do concerto em Piracicaba quanto o da Sala São Paulo contam com duas peças do compositor tcheco Bedrich Smetana: “Abertura da ópera A Noiva Vendida” e o poema sinfônico “O Moldávia”, do ciclo Minha Pátria, além de dois atos da ópera “Príncipe Igor” (a “Abertura” e as “Danças Polovtsianas”), iniciada em 1869 pelo compositor russo Alexander Borodin e finalizada em 1890, após a sua morte, pelos amigos compositores Nikolai Rimsky-Korsakov e Aleksandr Glazunov.

Esta é a segunda vez que a OSP se apresenta na Sala São Paulo. A primeira ocorreu em dezembro de 2016, quando o conjunto tocou com o barítono Leonardo Neiva. Ainda este ano, a OSP estará no 50º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, em julho, na praça do Capivari, em uma apresentação ao ar livre.

A Temporada 2019 da OSP é realizada pela Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo) e Secretaria de Educação. O patrocínio é da Caterpillar, Comgás, Hyundai e Oji Papéis Especiais, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta