Nutricionista oferece dicas de alimentação saudável na quarentena no canal do Parlamento Aberto da Câmara de Piracicaba

Nutricionista oferece dicas de alimentação saudável na quarentena no canal do Parlamento Aberto da Câmara de Piracicaba

O isolamento social, provocado pela pandemia do novo coronavírus, modificou a rotina da maioria das pessoas, que agora, passam mais tempo dentro de casa.

Nesse contexto, a alimentação tende a se tornar mais “desregrada”. Para a nutricionista Stella Herrmann, especialista em padrões gastronômicos, sete passos garantirão neste período de quarentena uma alimentação saudável e equilibrada.

Dieta balanceada ao longo do dia, se possível prescrita por um profissional nutricionista, beber água constantemente, dormir bem, consumir alimentos ricos em vitamina D, praticar atividades físicas, se atentar ao funcionamento do intestino e evitar o stress são práticas fundamentais para o bom funcionamento do corpo. As dicas foram transmitidas pela nutricionista nesta segunda-feira, dia 22, em entrevista ao vivo no Instagram do Parlamento Aberto.

Manter o corpo hidratado ajuda, conforme Stella, no funcionamento das células, na digestão e no desempenho dos rins, entre outros inúmeros benefícios. Já o sono deve ser priorizado, uma vez que, dormir mal é prejudicial ao corpo.

“O sono é o responsável por garantir que o nosso corpo tenha energia durante o dia, além de ser um regenerador celular. Quem dorme mal, envelhece mais rápido”, explicou.

O Sol, de acordo com Stella, é outro grande aliado da saúde, principalmente em tempos de pandemia. Isso porque os raios solares são essenciais na produção da vitamina D, fortalecendo o sistema imunológico e combatendo gripes e infecções. Ela recomenda que a exposição ao Sol aconteça de maneira moderada, dentro dos horários permitidos e numa quantidade suficiente.

Praticar atividades físicas, além de fortalecer o sistema imunológico, previne o desenvolvimento de doenças como hipertensão e diabetes, controla os níveis de colesterol, melhora a qualidade do sono e reduz o estresse. “É importante que neste período tenhamos uma válvula de escape e que aprendamos a respirar”.

A nutricionista destacou, ainda, a importância de manter o intestino, considerado o segundo cérebro, saudável e refletiu sobre o momento que, em sua percepção, pode ser uma oportunidade única para que as pessoas adaptem o paladar e escolham alimentos com maior teor nutricional e que contribuam para deixar o organismo mais saudável.

“Não é o momento para dietas drásticas que podem comprometer o sistema imunológico, o que, principalmente agora, não seria interessante, mas faça listas de compra e se atente aos alimentos consumidos no dia a dia. Ao invés de comprar, por exemplo, a pipoca de micro-ondas, compre a pipoca de milho”, sugeriu.

Stella aconselhou as pessoas a buscarem variedades de verduras e legumes, mantendo alimentos fontes de vitamina C, como laranja, limão, morango, kiwi, tomate e acerola. Segundo ela, frutas devem ser ingeridas no mínimo uma vez dia e, verduras e legumes, devem estar sempre presentes no almoço e no jantar.

“Evite, a qualquer custo, a margarina, pois ela é extremamente prejudicial; quando aquecida forma placas de gordura na corrente sanguínea. Dê preferência ao óleo de girassol ou até mesmo o de milho. Descasque mais e desembrulhe menos, não use temperos prontos, consuma menos alimentos com validade extensa, quanto menor o prazo de validade mais fresco e mais natural é o alimento”, ensinou.

A nutricionista recomenda, no mínimo, cinco refeições diárias (café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar). “Faça uma alimentação a cada duas horas. Nosso cérebro precisa de energia, quando abastecemos nosso corpo de carboidrato bom, não temos rompantes de fome”. As saladas durante as refeições, segundo Stella, também contribuem para aumentar a saciedade. “Quando tiver vontade de comer doce, escolha frutas, como banana com canela, pera, maça, ou até mesmo os chocolates 70% cacau, com menos açúcares”, sugeriu.

Pelo fato de passarem mais tempo dentro de casa, as pessoas podem sentir mais estresse. De acordo com a nutricionista, quando essas e outras emoções são sentidas, o alimento acaba sendo algo de conforto. Com isso, devem-se evitar alimentos prontos, processados e menos saudáveis. “Opte por oleaginosas como as nozes, as castanhas, a avelã, o amendoim e a amêndoa. O alto teor de gordura boa desses produtos confere energia e são fontes de vitaminas e minerais”, observou.

As lives do programa Parlamento Aberto são realizadas no perfil do Instagram, que pode ser acessado em @parlamentoaberto.
As entrevistas também podem ser acessadas no canal do YouTube do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta