Mobilidade: população pode sugerir locais para construção de ciclovias em pesquisa

Mobilidade: população pode sugerir locais para construção de ciclovias em pesquisa

Questionário estará disponível entre 15/05 a 31/05 e integra o projeto CicloVidas, da Semuttran

A Semuttran (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, Trânsito e Transportes), por meio do projeto CicloVidas, lança a partir de amanhã, sábado, 15/05, pesquisa com objetivo de identificar as demandas dos moradores de Piracicaba com relação ao uso de bicicletas para trabalho, estudo, lazer, esporte e turismo. Serão avaliadas opiniões de ciclistas e não ciclistas. O questionário estará disponível até 31/05 e pode ser acessado no site e redes sociais da Prefeitura e no site da Semuttran. Para responder a pesquisa é só acessar o link: bit.ly/PesquisaCicloVidas

A pesquisa, com 28 perguntas, é dividida em quatro partes. A primeira aborda informações sobre os munícipes que participam da pesquisa. Em seguida, são questionados sobre suas condições de mobilidade. A terceira parte diz respeito à percepção dos munícipes a respeito do uso de bicicletas para locomoção. Por fim, poderão sugerir bairro, avenidas/estradas e rotas em que gostariam que ciclofaixas e ciclorrotas sejam construídas. Há ainda campo para comentários sobre a ampliação do sistema cicloviário em Piracicaba.

A Semuttran considera essencial a participação dos munícipes na pesquisa, pois os resultados vão subsidiar a definição das prioridades de ampliação do sistema cicloviário do município. O projeto CicloVidas, conforme anunciado pela Pasta na apresentação do Plano 100 dias, visa implantar 10 Km de ciclovias, ciclofaixas ou ciclorrotas ao ano no município.

DIA-A-DIA – Atualmente, de acordo com a Semuttran, o município conta com 5,85 Km de ciclovias. Para a ciclista, empresária e jornalista Cássia Fossaluza Ferreira, que faz parte do grupo Mais Ciclovias, o investimento na construção de novas ciclovias no município vai trazer mais segurança aos ciclistas. Nos locais em que essas vias não existem, Cássia conta que “se arrisca diariamente”.

“Na minha visão, é preciso construir rotas alternativas com ciclorrotas para evitar as grandes avenidas. Mas o descaso dos motoristas com as bicicletas também está acontecendo quando estamos cortando entre os bairros”, comenta Cássia, que aponta as avenidas Centenário, Limeira, Independência e aquelas que são caminhos para empresas como boas opções para receber ciclovias.

A corretora e ciclista Fernanda de Souza Gervatoski avalia que, com novas ciclovias, mais pessoas serão incentivadas a usar a bicicleta no dia-a-dia, gerando economia e saúde. Ela pedala por esporte pelo menos duas vezes na semana. “Gostaria muito de usar a bicicleta como meio de transporte, mas atualmente é impossível sem a ciclofaixa”, ressalta.

Fernanda conta que seria importante ter ciclovia ligando a região ao redor do Shopping Piracicaba ao começo da avenida Renato Wagner, além de implantar esse tipo de faixa na avenida Independência.

Para mais informações sobre o CicloVidas, acesse http://semuttran.piracicaba.sp.gov.br/.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta