Laércio Trevisan questiona falta de equipamentos e insumos no Canil de Piracicaba

Foi aprovado pela Câmara Municipal de Piracicaba o Requerimento nº 241/2019, de autoria do vereador Laércio Trevisan Jr. (PR), no qual o parlamentar solicita informações do Executivo sobre falta de equipamentos materiais e insumos no Canil Municipal de Piracicaba.

No texto da propositura, o parlamentar relembrou o requerimento 616/2018, que foi encaminhado ao Executivo em 23 de novembro de 2018, em que ele solicitou informações sobre a falta de cilindros de oxigênio e equipamentos para entubação utilizados nos processos cirúrgicos do Canil.

“Em resposta encaminhada em 12 de dezembro de 2018, o CCZ (Centro de Controle de Zoonozes) informou que o cilindro de oxigênio para o aparelho de anestesia inalatória e as sondas endotraqueais são utilizados como equipamentos de emergência. O CCZ informou, ainda, que as sondas endotraqueais, o laringoscópio e outros itens estavam aguardando a liberação do empenho e o monitor multiparamétrico, após o fracasso de licitação, seria necessário um novo processo”, disse Trevisan.

O vereador ocupou a tribuna na 13ª reunião ordinária para discutir o assunto. “O ser humano perde a sensibilidade, atende você como se fosse uma ficha. É como ir na padaria e falar: número 30, pega a ficha e não olha na sua cara. Ser humano está perdendo o relacionamento cada vez mais”. Ele disse que encaminhará a questão ao Ministério Público, caso providências não sejam adotadas.

“Não se está fazendo o que é para fazer nessa cidade”, completou.

O parlamentar quer saber se as sondas endotraqueais, o laringoscópio, o monitor multiparamétrico e demais itens relacionados já foram adquiridos pelo departamento de materiais e logística da Secretaria de Saúde. Caso a resposta seja positiva, ele solcita que sejam relacionados os itens comprados. Caso a resposta for negativa, cobra a razão de a compra não ter ocorrido.

Trevisan também questiona se o CCZ possui os cilindros de oxigênio para o aparelho de anestesia inalatória e qual a quantidade utilizada.

Referente ao caso do cachorro de raça Fila, Trevisan relembra que ele foi resgatado em uma construção com maus tratos, o qual foi recolhido pelo Canil Municipal, e segundo informações, não foi operado pelo CCZ por falta de anestesia inalatória e precisou ser transferido por protetores de animais para uma clínica particular. “É a mesma coisa que o cidadão sair do pronto socorro e ir pro hospital e chegar lá não ter equipamento. O cidadão vai morrer. O cachorro vai morrer. Porque tem cachorro, na maioria, que nós consideramos mais que uma pessoa. O ser humano é canalha até nesse ponto por não se preocupar. Ele perde o sentimento e a sensibilidade”, reforçou, na tribuna.

O parlamentar pergunta se a anestesia inalatória está em falta no CCZ e qual a razão de o animal não ter sido operado pelo Canil Municipal. Nesse caso, ele pede que seja enviado um relatório detalhado desde o chamado para o atendimento até a transferência para uma clínica particular.

Trevisan também indaga quais as providências que estão sendo tomadas pelo CCZ e Secretaria Municipal de Saúde em razão da falta de materiais, equipamentos e insumos no Canil Municipal.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta