Grande história e desenvolvimento marcam o aniversário de 66 anos de Charqueada

Grande história e desenvolvimento marcam o aniversário de 66 anos de Charqueada

No próximo dia 30 de dezembro, a querida cidade de Charqueada completará 66 anos de emancipação política administrativa, uma data relevante em sua história, marcada por um povo guerreiro e inúmeras conquistas.

Segundo a história, em 1.859, as terras, onde provavelmente está localizado o município pertenciam ao Sr. Luís Antonio de Souza Barros, que também era proprietário de uma colônia denominada São Lourenço. São dessa mesma época, as fazendas Covitinga e Buri, que mais tarde passou a chamar-se Bery, e a Fazenda Santo Antonio. As duas primeiras tiveram como um dos seus mais antigos proprietários, o Dr. José Elias Pacheco Jordão; a última era de propriedades do Sr. Elias Silveira Leite.

 Uma escritura de cartório do primeiro ofício de Piracicaba menciona o nome de Uacuri, para as terras que talvez constituíram a zona de Charqueada. Uacuri, segundo Plínio Airosa, em “Noções de tupi”, significa: Ua = haste, talo, Caule, e curi = pinhão, pinheiro.

Origem do nome – Sendo a zona um sertão bruto e de caça abundante, atraia numerosos caçadores que certa vez tiveram que Charqueada a carne para não a perder, daí surgindo Charqueada, lugar onde foi feita a Charqueada.

Por volta do ano de 1.886, as pontas dos trilhos da Ituana, mais tarde E.F. Sorocabana, atingiam Charqueada, fazendo aí ponto terminal, até quando chegava à São Pedro.

Quando a Ituana estava em construção em Charqueada, o Sr. Luís Antonio de Souza Barros construiu uma casa para armazém de secos e molhados e hospedaria, nas imediações da estação. Existia também, no local um rancho de pousada para tropeiros, transformado, depois em acampamento dos operários que trabalhavam nas construções da Estrada de Ferro. Alguns anos depois, o armazém era vendido a Paulino Teixeira Escolar, que por sua vez, vendeu-o a Antonio Furlan, homem benemérito e considerado o legítimo fundador de Charqueada. A partir de 1894, Antonio Furlan montou uma olaria e deu início a construção de casa para hotel, para pedreiro, ferreiro e farmácia. Montou, também uma máquina de beneficiar café e arroz e uma serraria; adquiriu arados que foram utilizados pela primeira vez na região. Dentre as famílias que povoaram o local e que eram constituídas de lavradores, ferreiro, pedreiros, oleiros, etc. Destacamos os Dalprat, Lorandi, Di Bene, Ciaramello, Callegaro e Roccia e muitos outras.

Em 1.901, foi construída e instalada a primeira escola Primaria Municipal, pelo Sr. Antonio Furlan, que Também pagava os vencimentos da primeira professora, Senhora Carolina de Oliveira Cintra, até 1.907, quando a prefeitura de Piracicaba assumiu o encargo. Entre 1902 e 1903, Antonio Furlan fez construir a primeira capela. Em 1.905, 27 setembro, era criado o Distrito Policial e, em 1.907, a Paróquia. Os terrenos necessários para a construção da igreja matriz e do cemitério foram doados por José Ferreira de Carvalho.

O distrito de paz, de Charqueada foi criado no município e comarca de Piracicaba, pela Lei N.º. 1.251, de 18 de agosto de 1.911, sendo o primeiro Juiz de paz, o Sr. Antonio Furlan e o primeiro escrivão, Antonio Cintra.

O distrito de Charqueada foi elevado a Município na mesma comarca, com sede na Vila de Igual nome e com o território do respectivo distrito, pela Lei N.º. 2.456, de 30 de dezembro de 1.953, posta em execução em 01 de janeiro de 1.955.

A cidade será administrada a partir de 2021, pelo prefeito eleito Rodrigo Arrua (DEM), que estará à frente do Poder Executivo Municipal.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta