Cantora paraibana apresenta repertório de aboio e forró neste Som de Domingo

Com três CDs lançados, a cantora paraibana Sandra Belê recebeu no último mês de maio o Troféu Gonzagão, conhecido como o “Oscar da Música Nordestina”, ao lado de Alceu Valença e Mestrinho. E neste domingo (13/9) ela sobe ao palco do Sesc Piracicaba, às 16h, para cantar as diferentes vertentes da música da região em um repertório de aboio (canto típico do Nordeste, sua marca registrada), forró, xote, baião e côco. A entrada é gratuita.

Nascida no Cariri, agreste Paraibano, sua vivência com reisados, pastoris, benditos, romances e forrós tem lhe proporcionado uma interpretação singular, com forte identidade nordestina. Em seu repertório, que traz o sentido de lembranças, saudades, emoções e tempos de outrora, surge a forte identidade que carrega na voz quando interpreta as encantadoras obras do cancioneiro nordestino. Zabelê, cidade do Cariri paraibano, foi seu berço de ouro, lá nasceu, cresceu e aprendeu a admirar as paisagens, os cheiros e os sons de uma terra árida, porém fértil para as mais variadas formas de sobrevivência.

“Nasci em Zabelê, uma cidade do interior da Paraíba. Lá vivi minha infância, minha adolescência e começo da minha fase adulta. Tudo que Zabelê me deu eu guardei na imaginação. As cantigas do Reisado, a voz do aboiador, o som do carro de boi, os banhos de açude, o som da sanfona do meu pai, e o entrelaçar de linhas da minha mãe. Coisas que eu via com tanta naturalidade e que hoje as percebo como especificidades só de lá. Ainda não me afastei muito do meu canto. Vez por outra estou lá. E nessas idas e vindas, meu olfato fica cada vez mais apurado pro cheiro que sempre senti e não percebia. Minha visão fica mais aguçada pras belezas que sempre estiveram presentes e eu não percebia. Hoje carrego minha cidade, não só no meu nome, mas nas minhas palavras, na minha lembrança e nas cantigas que canto pelo mundo afora”. (Sandra Belê)

 

 

Biografia

  • Sandra Belê gravou Nordeste Valente, seu primeiro trabalho, entre os anos de 2004 e 2005;
  • Um ano depois participou como atriz-cantora das gravações da minissérie da Globo “A Pedra do Reino” do escritor Ariano Suassuna. Este mesmo CD fez parte da coletânea de músicas da minissérie;
  • Em 2008 participou do projeto Sete Notas do Sesc Centro de Campina Grande, interpretando o compositor cajazeirense chamado Zé do Norte;
  • Em 2009 lançou o CD intitulado “Se Incomode Não”, que apresenta o universo romântico do povo nordestino através dos ritmos do xote, arrasta-pé, xaxado, baião e forró;
  • 2011 gravou seu terceiro CD, intitulado “Encarnado Azul” um trabalho que apresenta os antigos Pastoris do interior do país carregados de novidades sonoro-musicais. Com esse disco ela foi finalista do Concurso “Grito de Independência” do Festival SWU;
  • 2012, ano do Centenário de Luiz Gonzaga, a cantora circulou com o show “Eternamente Luiz”, reinterpretando grandes clássicos da sua obra;
  • 2014 – Cantou na Virada Cultural, no palco Forró, fez Shows no Canto da Ema e também em Unidades Sesc do interior paulista;
  • 2015 – Sandra recebeu o lado de Alceu Valença e Mestrinho oTroféu Gonzagão– “Oscar Nordestino”.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta