Apeoesp organiza nova manifestação contra PLC 26 e cobra posição dos deputados Alex Madureira e Roberto Morais

Apeoesp organiza nova manifestação contra PLC 26 e cobra posição dos deputados Alex Madureira e Roberto Morais

A Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) promove nova manifestação unificada com servidores públicos estaduais nesta terça-feira, 28 de outubro, em São Paulo, a partir das 14 horas, em frente à Assembleia Legislativa de São Paulo, contra a aprovação do PLC 26 (reforma administrativa do governador João Doria), que volta à pauta da Casa. Já conselheiros da Apeoesp estiveram nesta segunda-feira, 27 de outubro, nos gabinetes dos deputados Alex Madureira (PSD) e Roberto Morais (Cidadania), ambos com domicílio eleitoral na cidade, protocolando carta-compromisso reivindicando que se posicionem e votem contrários ao projeto que está na pauta da Assembleia Legislativa sem ter tramitado nas comissões internas e sem que fosse debatido em audiência pública, assim como expuseram faixa na região central da cidade, em boa parte do dia desta segunda-feira, 27 de outubro, questionando qual será a posição dos deputados na votação deste projeto.

A decisão de realizar a manifestação e o ato público foi tomado pelo Conselho Estadual de Representantes (CER) da Apeoesp, na última quinta-feira, 23 de setembro, quando foi decidido por convocar todos os professores, inclusive com a paralisação da categoria. “Temos que unificar a nossa luta e mostrarmos a nossa posição contrária à esta reforma administrativa que irá prejudicar a todos os servidores estaduais”, diz a presidenta da Apeoesp, a deputada estadual Professora Bebel.

Para ela, com esta reforma administrativa, o governador João Doria (PSDB) ataca a estabilidade dos servidores públicos, institui avaliação de desempenho com a finalidade de demitir servidores, descompromete o Estado com a realização de concursos públicos, amplia e facilita a contratação irrestrita de temporários, estabelece parcerias entre a administração pública e a iniciativa privada e adota outras medidas destinadas a desmontar e enfraquecer serviços públicos, visando extinção e privatização de áreas fundamentais para a população que mais necessita. “A flexibilização da remuneração também afeta os servidores aposentados e provocará redução de seus salários, pois a bonificação não é extensiva ao segmento”, avisa, convocando a todos os servidores a participarem das manifestações.

Bebel diz que unidade da dos professores com os demais servidores públicos é fundamental, assim como a unidade de todos os professores. “O

aditamento que o governador enviou posteriormente à Alesp ao PLC 26 é uma

manobra e uma tentativa de nos dividir. Sim, é verdade que este aditivo

recua na limitação de 90% nos salários dos temporários, assim como

prorroga os contratos dos temporários (categoria O) até dezembro de 2020,

pelo que vimos lutando há tempos. Também estabelece novas regras para a

carreira dos funcionários e outras medidas”, explica.

A presidenta da Apeoesp diz que é preciso ficar bem claro que os professores efetivos correm risco de demissão por avaliação de desempenho (provinhas e outros instrumentos) e não apenas os professores temporários (categoria O). “Os diretores de escolas, coordenadores pedagógicos, supervisores, também são atingidos, assim como os demais profissionais”, avisa

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta