Para Bebel, volta obrigatória às aulas presenciais mostra irresponsabilidade de Doria e Rossieli

Para a presidenta da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de Ensino do Estado de São Paulo), a deputada estadual Professora Bebel (PT), a volta obrigatória das aulas presenciais no Estado de São Paulo, “mostra a irresponsabilidade do governador João Doria e do secretário estadual da Educação, Rossieli Soares”. “O show de horrores continua! Com a determinação da volta às aulas presenciais para o próximo dia 18 e o fim do distanciamento de um metro entre os estudantes, o governo estadual certifica seu perfil irresponsável e genocida”, escreveu a parlamentar em suas redes sociais.

Bebel destaca que a pandemia não acabou e a preocupação dos gestores da educação estadual “é traçar suas metas de forma eleitoreira, dando as costas para tantas mortes que ainda acontecem em decorrência da COVID-19. Nossos estudantes não estão totalmente imunizados e nossas escolas continuam sem infraestrutura adequada para um contexto pandêmico. O desprezo pela vida e pela saúde da comunidade escolar atingiu o auge com a decisão do secretário da Educação, Rossieli Soares, de obrigar a volta às aulas presenciais para 100% dos estudantes, sem distanciamento social”, escreveu.

Para Bebel, “a medida trata-se de absurdo negacionismo, num momento em que a pandemia de covid 19 ainda mata uma média de 500 pessoas diariamente no país, sendo que já ultrapassamos 600 mil mortes desde o início da pandemia. Vale lembrar que em 2021 o investimento em educação caiu 6,4%, como noticiado pela Folha de S. Paulo na última segunda-feira, 11 de outubro, e não foram feitas reformas estruturais nas escolas para adequá-las à nova realidade, tampouco se avançou numa demanda da categoria que é a redução do número de alunos por sala, cujo benefício sanitário (e pedagógico) é evidente. A vida não será mais como antigamente, quando se colocava 40 alunos em salas de aula”.

A presidenta da Apeoesp ressalta ainda que o secretário da Educação, o governador do Estado e demais autores dessa decisão são responsáveis por todas as suas consequências.

Levantamento da Apeoesp mostra que no Estado de São Paulo foram registrados 2.919 casos de covid-19 em professores desde o retorno obrigatório das aulas, em 1.238 estabelecimentos de ensino, e 108 óbitos.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta