Moradores de São Pedro lançam “Manifestação Contra Descaso da SP-304”

Movimento acontecerá no próximo domingo

 

Após um acidente grave que vitimou o casal sãopedrense Hector e Stafani, moradores de São Pedro lançaram uma “Manifestação Contra Descaso da SP-304”, que irá acontecer no domingo da próxima semana, dia 11, as 14 horas, próximo a entrada do “Thermas Water Park”.

Os líderes deste grupo são a professora de São Pedro, Teresa Lacerda e Mateus Camargo.

Teresa Lacerda explica que o movimento surgiu quando voltava da faculdade se deparou juntamente com diversos alunos, com a cena do acidente.

“O acidente comoveu muito as pessoas e no nosso ônibus muitas choraram diante das cenas que vimos. Eles eram evangélicos e tinham muitos amigos no ônibus que eram amigos deles. Eu cheguei em casa e postei no facebook que estava triste e comovida com essa situação, depois conheci o Mateus Camargo, que se prontificou a criar uma pagina para fazer esse movimento na qual mais de 1800 pessoas já confirmaram presença na manifestação do próximo domingo e o abaixo assinado conta até o momento com mais de 2.180 assinaturas”, disse a professora.

“O principal motivo é o descaso com a pista e a preocupação com nossos familiares, com amigos e todos que circulam pela rodovia SP/304, no trecho entre São Pedro e Piracicaba que esta em obras há mais de dois anos. Queremos chamar a atenção do governador e dos deputados para esse problema, para que as obras possam ser concluídas com maior agilidade, pois no lançamento das obras que foi próximo das eleições que reelegeu o Governador e Deputados, vários estiveram presentes. Eu convido a todos para virem conosco nesse movimento. É importante que a gente descruze os braços e façamos alguma coisa”, convidou Teresa Lacerda.

No inicio da próxima semana, a professora Teresa Lacerda, deverá ser recebida pela Promotora de Justiça de São Pedro, Dra. Cintia Marangoni, para fazer a entrega do abaixo assinado, para que medidas possam ser adotadas também pelo Ministério Público do Estado de São Paulo.

“Isso não é um ato politico, é um ato pela VIDA”, disse a professora.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta