Membros do Conselho Municipal de Políticas Públicas para LGBT são empossados

Composição é paritária, com oito representantes da sociedade civil e oito do poder público; Anselmo Figueiredo foi eleito presidente

Os novos integrantes do Conselho Municipal de Políticas Públicas para LGBT foram empossados na tarde do dia 24/06, no Anfiteatro do Centro Cívico, para o mandato 2021-2023.

O prefeito Luciano Almeida e o secretário de Governo, Carlos Beltrame, participaram do evento, que contou também com as presenças dos vereadores Pedro Kawai, Rai de Almeida, Ana Lúcia Pavão, Thiago Ribeiro, Acácio Godoy e do covereador do Mandato Coletivo A Cidade é Sua, Jhoão Scarpa.

A composição deste Conselho é paritária. São oito representantes da sociedade civil e oito representantes do Poder Público. Cada representação tem seu respectivo suplente, totalizando 32 pessoas, sendo 16 titulares e 16 suplentes.

Anselmo Figueiredo, coordenador geral da ONG (Organização Não-Governamental) Casvi (Centro de Apoio e Solidariedade à Vida), foi eleito o novo presidente do conselho. Como vice-presidente, Danuta Rodrigues, professora de história e ativista social; 1º secretário, Thiago Franco, presidente da Comissão da Diversidade Sexual da OAB-Piracicaba e 2ª secretária, Ana Laura Rodrigues, representante da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (Semdettur).

“Esse conselho terá todo apoio da Administração, por ser legítimo representante da sociedade para construir uma cidade melhor e mais igualitária”, ressaltou Luciano Almeida.

Para Anselmo Figueiredo, é fundamental que todo município tenha um Conselho Municipal, permitindo que a sociedade civil organizada possa participar da construção de políticas públicas para o segmento LGBT, como também acontece com a população negra, mulheres e juventude.

HOMENAGEM– Durante o evento, a ONG Casvi prestou homenagem póstuma à ex-vereadora Madalena, que se estendeu também a outras pessoas da população LGBTI assassinadas este ano em Piracicaba, como a transexual Amanda Fagundes e a lésbica Vanessa Bárbara, como forma de lembrar a luta de cada uma delas e lembrar que existe ainda uma grande violência contra essa população no país.

“Madalena sempre foi uma grande parceira do Casvi, destacando sua luta por Direitos Humanos, sua atuação pela comunidade, sua própria história de vida, que para nós é um exemplo de luta e coragem”, ressaltou Anselmo Figueiredo.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta