ETE de Águas de São Pedro trata 100% do esgoto coletado no Município

ete-3Prefeito Paulo Ronan visita a estação e destaca a conquista histórica para a Estância Hidromineral

Águas de São Pedro tem uma conquista histórica na área de saneamento básico e saude. A primeira ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) da cidade já funciona com 100% da capacidade e faz o tratamento integral do esgoto coletado nas casas do municipio. A unidade tem capacidade para tratar 25 litros de esgoto por segundo e foi projetada para uma cidade com 15 mil moradores, de acordo com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), a responsável pela obra.

Atualmente, Águas de São Pedro tem 3.139 moradores, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A população, no entanto, triplica nos fins de semana e feriados prolongados e, exatamente por isso, o projeto da ETE considerou o perfil turístico da estância hidromineral.

“É, sem dúvida, uma conquista histórica para o nosso município. Após 76 anos, Águas de São Pedro ganha uma estação de tratamento de esgoto e pode contar com um serviço que reflete diretamente na qualidade de vida da população”, destacou o prefeito Paulo Ronan (PSDB), que visitou o local nesta semana, acompanhado do gerente de divisão da Sabesp, Wesley Arradi.

A obra custou R$ 7,9 milhões e ocupa um terreno de 7,7 mil metros quadrados, considerando a área construída e a área de acesso. A ETE é composta por cinco módulos e cada um deles possui um decantador (equipamento responsável pela remoção da matéria orgânica), dois reatores anaeróbios e um reator aeróbio. De acordo com a Sabesp, o índice de coleta de esgoto em Águas de São Pedro é de 95,6% do total das residências (dados de dezembro de 2015).

“Andei por toda área da ETE e fiquei impressionado como o ambiente em volta da estação é inodoro. O trabalho feito aqui realmente é excepcional. Aproveito para agradecer novamente a todos os órgãos envolvidos, inclusive à Câmara Municipal, que teve atuação ativa na conquista desse importante marco histórico”, complementou Ronan.

TAC – Em novembro do ano passado, a Prefeitura de Águas de São Pedro, Sabesp, o Ministério Público e a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) assinaram o TAC (Termo de Ajustamento de Condutaque viabilizou a construção da ETE. A formulação do termo teve acompanhamento da Agência Reguladora Ares-PCJ. O documento, proposto pelo Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), foi assinado na sede do MP, em Piracicaba.

O acordo, que prevê contrapartidas do poder municipal e da companhia estadual, conta com investimentos na ordem de R$ 25 milhões. O TAC foi proposto pelo Gaema como solução para duas ações que tramitavam paralelamente na Justiça.

A Sabesp cobrava dívidas antigas da Prefeitura e a administração municipal exigia a construção da ETE para cessar o lançamento de dejetos nos cursos d’água. Com a assinatura do TAC, a Prefeitura zerou um débito de R$ 9 milhões acumulado nos últimos 20 anos com a Sabesp.

O TAC lista uma série de medidas compensatórias para ambas as partes. Estão previstas, entre outras ações, a criação de um ecoponto de resíduos, a implantação da coleta seletiva, a reforma do Mini-Horto, o plantio de árvores frutíferas e floríferas no Bosque Municipal e o desassoreamento da Represa Limoeiro.

“Esse acordo extrapola a questão do saneamento. Reflete diretamente na qualidade de vida das pessoas. Conseguimos evoluir efetivamente sempre que há apoio das partes. E foi isso que aconteceu no caso de Águas”, declarou, na época da assinatura do TAC, o promotor do Gaema, Ivan Carneiro.

 

 

 

Crédito das fotos: Alessandro Meirelles

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta