Em visita ao Dario Brasil, Professora Bebel reafirma defesa do magistério e apoio à escola

Em visita ao Dario Brasil, Professora Bebel reafirma defesa do magistério e apoio à escola

Em visita à EE Dario Brasil, localizada na região da Paulicéia, na tarde da última terça-feira, 31 de agosto, a presidenta da Apeoesp, Professora Bebel (PT), reafirmou a necessidade de defesa do magistério público no Estado de São Paulo. Atendendo à solicitação dos professores, apresentado pela diretora Marta Freitas Oliveira, Bebel, como deputada estadual pelo PT, também se comprometeu a trabalhar para viabilizar a liberação de emenda parlamentar, através do seu mandato popular na Assembleia Legislativa de São Paulo, voltada a melhorias na escola, como a construção de uma sala maior para os professores, laboratório e cozinha para aulas práticas. “Sem dúvida, é uma demanda que trabalharei para ser viabilizada. Voltarei em outras oportunidades para me inteirar ainda melhor das necessidades da escola e trabalhar para melhorar a estrutura oferecida aos professores e alunos”, disse.

No encontro com os professores, ainda, enquanto presidenta da Apeoesp, chamou a atenção para a necessidade de mobilização da categoria contra o PLC 26, da reforma administrativa estadual, que tramita em regime de urgência na Assembleia Legislativa de São Paulo, e que deverá ser votado nos próximos dias. “Se aprovado esse projeto, a situação dos professores da categoria “O” irá piorar ainda mais, uma vez que reduz em 10% o salário deste segmento em relação aos salários dos professores efetivos.

Em vez de melhorar a carreira, o governo de São Paulo pretende destruí-la, substituindo salários por subsídios. Com isso, em final de carreira, o professor nada acumula, pois quem aderir a essa remuneração por subsídio perderá o direito a todos os adicionais (sexta-parte, quinquênios, gratificações)”, contou, ressaltando que os reajustes salariais, de um nível para outro, dependerão de avaliações de desempenho.

A presidenta da Apeoesp advertiu também que há mais de sete anos os governos do PSDB não realizam concursos públicos para contratação de professores no Estado de São Paulo. “Hoje, 57,1% dos Professores de Educação Básica I e 34,3% dos Professores de Educação Básica II são temporários (categoria O)”, disse.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta