Culminância a escola de tempo integral Aroldo Donizete Leite

A cada semestre, há um movimento bastante comum entre os estudantes da Escola Estadual Aroldo Donizetti Leite, localizada na cidade de São Pedro. É o período em que eles podem criar seus Clubes Juvenis e defender a existência deles através de um projeto, com objetivo, metodologia e atividades. Uma vez formados, a ideia é que esses grupos, que contam com um presidente e um vice-presidente, conduzam as aprendizagens acerca do tema escolhido, de maneira autônoma, junto aos demais alunos da instituição, que devem aderir por inscrição. Tanto em relação à composição de grupos quanto à participação nas atividades, não importa a série em que os adolescentes se encontram, somente a identificação e o desejo que cada um traz é o suficiente para garantir a participação.

Os Clubes Juvenis são um dos desdobramentos possíveis do Programa Escola de Tempo Integral, do Estado de São Paulo, que a escola aderiu em 2014, quando passou a se preocupar com o protagonismo juvenil. “Orientamos nosso plano político pedagógico para garantir a valorização do aluno, a sua voz no cotidiano escolar”.  A instituição atende 190 estudantes em tempo integral, das 7h30 às 16h30.

Neste semestre a escola teve nove clubes juvenis: dança, jogos, artes, estudos para vestibular, volei, games, beleza, autoajuda e culinária. A culminância desses clubes ocorreu na segunda-feira, dia (18) e terça-feira (19) na unidade escolar onde os mesmos apresentaram o resultado do trabalho do semestre.

Nesse sentido, a escola mantém outras práticas que aproximam os estudantes de sua dinâmica. Cada uma das salas, por exemplo, conta com um líder e um vice líder, escolhidos por votação entre os próprios estudantes após apresentação de proposta de trabalho, sendo ao todo dez na instituição. Essa figura tem uma agenda fixa junto e semanal junto à gestão escolar, com cerca de 30 minutos de duração e tem como propósito a participação nas tomadas de decisão. “A ideia é que esses membros garantam uma voz dos estudantes junto à gestão escolar e professorado e que, portanto, nos ajudem a pensar em algumas soluções para as turmas”, explica  a diretora da escola a professora Lúcia Helena Corrêa Varella.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta