E se fosse com alguém de sua família?

Pessoas inescrupulosas registram fotos de mortos em acidentes

 

Foto: Divulgação

Além de serem atos desagradáveis o fato é também um ato criminoso classificado como vilipêndio

Recentemente, durante a morte do apresentador Ricardo Boechat pessoas ao invés de tentarem socorrer o motorista de caminhão, sobre o qual caiu o helicóptero se preocuparam em filmar e tirar fotos do apresentador e o piloto.

No entanto, isso tem sido uma cena comum e aconteceu recentemente durante dois acidentes em rodovias em da nossa região, gerando dor as famílias das vitimas fatais.

Logo isso começa a circular pelo whatsapp e pela internet, principalmente nas redes sociais, antes mesmo do recebimento da noticia por parte de familiares. Além de ser uma falta de respeito com as vítimas e seus familiares, divulgar fotos de pessoas mortas é crime.

O crime de vilipêndio a cadáver ou suas cinzas, previsto no artigo 212 do Código Penal, consiste em desrespeitar o corpo e tem pena que pode variar de um a três anos de prisão mais multa.

Além dos responsáveis por fotografar os corpos, pessoas que divulgam as fotos ou vídeos também podem ser enquadradas no mesmo crime.

Isso aconteceu, por exemplo, na tarde de terça-feira, dia 14, quando um homem de 45 anos morreu após um acidente na Rodovia Hermínio Petrin – SP/308, em Charqueada. Segundo informações que chegaram a redação do Jornal O Regional, seus familiares receberam as fotos do acidente via whatsapp, deixando todos indignados e pior, sem reação.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta