Diretora do CRAS detalha ações desenvolvidas na área social de Charqueada

Diretora do CRAS detalha ações desenvolvidas na área social de Charqueada

Nesta terça-feira, dia 27, Amanda Gava que é a Diretora do CRAS – Centro de Referência de Assistência Social, esteve na Câmara Municipal de Charqueada, onde detalhou ações que são desenvolvidas pelo CRAS e pela área social da cidade.

Ela destaca que em 16 anos essa foi a primeira vez que o Legislativo fez um convite para que o órgão pudesse explanar sobre as ações que desenvolve no município.

“Agradeço ao convite de poder estar aqui, esclarecendo as ações. Em 16 anos que estou na prefeitura, essa foi a primeira vez que recebemos um convite para poder explanar as ações que são desenvolvidas no CRAS e no setor social”, disse.

Ela destacou que a pasta do Social é conjunta com a Saúde, denominada de “Secretaria de Saúde e Desenvolvimento Social” e explicou a diferença da assistência dada em cada uma dessas áreas.

“Em virtude da pandemia muito se fala hoje sobre o trabalho do social, devido ao aumento do desemprego. Tudo que for de saúde o trabalho é feito na saúde, mesmo que seja uma alimentação especial, medicamentos, leite especial, entre outros. Um leite comum e outras questões, entram na área social”, explicou.

Amanda Gava destaca que o órgão trabalha a prevenção, através da proteção social e também a proteção especial.

“No social temos a proteção social básica, que é o CRAS, onde trabalhamos grupos com crianças, adolescentes, idosos, para que as pessoas tenham condições de não terem outras situações de vulnerabilidade na proteção especial temos uma assistente social e uma psicóloga, que tem esses dois olhares nos atendimentos que são feitos. Há tanto o atendimento, como o acompanhamento, onde a assistente social ou a psicóloga, fazem um estudo social. Uma família que retorna, é feito um estudo mais aprofundado e temos o Programa de Assistência Integral a Família, o PAIF, onde é feito um acompanhamento por um determinado período”, disse.

Amanda Gava destaca ainda que além desses atendimentos com esse suporte em questões mais urgentes, como cestas básicas e auxilio no pagamento de água e luz, há o trabalho feito em relação a programas sociais federais, estaduais e municipais.

“O CRAS não faz caridade, isso quem faz são as pastorais, as igrejas, entidades, fazemos atendimentos, baseado nessas análises. Dentro do CRAS temos os atendimentos do Bolsa família com 523 famílias, temos o programa Criança Feliz, que atende crianças e gestantes, onde fazemos visitas semanais, temos o Renda Cidadão e Ação Jovem, que são ambos do governo estadual, assim como o Vivaleite, temos o programa local conhecido como os 15 dias, que é o programa emergencial de apoio ao trabalhador desempregado, além da frente de trabalho que tem hoje 48 pessoas, que recebem R$ 750 e devemos receber agora o PAA – programa de alimentação, onde devemos receber alimentos perecíveis para serem destinados à famílias em vulnerabilidade e que é feito através de produtores de nossa região”, destaca a coordenadora.

Respondendo à pergunta dos vereadores, a coordenadora disse ainda que não está faltando cestas no CRAS.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta