Secretária participa de Sessão na Câmara e fala sobre IDEB, Pombos e outros assuntos da Educação de Brotas

Na segunda-feira, dia (08/10), a Secretária de Educação de Brotas, Professora Gilda Salviato de Oliveira, esteve na Câmara Municipal da cidade, para prestar esclarecimentos aos Vereadores e à população, principalmente no que tange a referencia dos professores.

Vários assuntos foram abordados pela secretária: nota do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação), contratação de serviço de eliminação de pombos, ensino apostilado e contratação de empresa para auditoria interna sobre pagamento de referências aos Professores.

Primeiramente a secretária falou aos vereadores sobre a nota do IDEB, destacando ainda que estaria à disposição de todos maiores informações.

“Vim aqui para explanar sobre alguns assuntos da nossa Secretaria. Obtivemos na nota do IDEB de 2016 e 2018 um prejuízo de três décimos na média final. Esses três décimos devem-se aos critérios de apuração do Ministério da Educação, pois as notas técnicas consideram não apenas os erros e acertos dos estudantes, mas também evasão, repetência, formação docente, esforço do docente, entre outros critérios, os quais estão a disposição de todos”, informou a professora.

Em seguida ela falou sobre a questão dos pombos e também sobre a contratação de empresa para verificação sobre os prontuários dos professores.

“A estrutura física da educação exija prédios da educação e que a manutenção é constante, sendo sempre feitas de acordo com as condições que possuímos tanto orçamentarias, como de pessoal. Tao logo as questões tem chegado os problemas, como no caso da CEI Luis Cassaro, onde os pombos defecavam onde era servida a merenda e quando tomamos conhecimento o local das refeições foi substituído e sobre a contratação de empresa para verificação sobre os prontuários dos professores, para atender as solicitações do próprio Conselho Municipal de Educação. A opção pela contratação de uma empresa especializada, se justifica porque é necessário ter isenção, já que estamos diretamente ligados a questão, ou, seja, para haver isenção e impessoalidade”, ressaltou a secretária, que completou sobre o tema, esclarecendo sobre as referências dos profissionais da educação na cidade. “Temos um Plano de Carreira que disciplina a profissão do professor. Ele faz cursos e a cada 300 pontos recebeu um aumento que deve ser concedido a cada três anos e pelo que observamos desde que assumimos, esses aumentos foram concedidos antes desse período, onerando a pasta em demasia, se não fizermos as adequações dentro de poucos anos não teremos condições de para os vencimentos dos professores”, explicou.

Ela falou ainda sobre as apostilas ela esclareceu que a cidade aderiu ao Programa Nacional do Livro Didático.

Vereadores fizeram comentários sobre a fala da secretária e também fizeram questionamento a titular da pasta.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta