Alunos de escolas de Torrinha participam das Olimpíadas de Língua Portuguesa

Os alunos das da Escola Agrícola “Ismael Morato” e as estaduais, Coronel “Antônio Luciano da Fonseca” e “Lázaro Franco de Moraes” estão participando mais uma vez da Olimpíada de Língua Portuguesa “Escrevendo o Futuro”, promovida pelo Ministério da Educação em parceria com a Fundação Itaú Social.

Em 2016, em sua 5° edição, a Olimpíada promove a interação entre crianças e jovens com seu território cujo tema das redações é “O lugar onde vivo”, fazendo com que os alunos resgatem a identidade, cidadania, através de histórias e aprofundando o conhecimento sobre a realidade de seus municípios.

Criado em 2002 pela Fundação Itaú Social e o Cenpec – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária, com o objetivo de contribuir para a melhoria da leitura e escrita de estudantes de escolas públicas brasileiras, o Programa Escrevendo o Futuro transformou-se em política pública em 2008, por meio da parceria com o Ministério da Educação e a realização da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro.

Na etapa municipal, a comissão julgadora foi composta pelos professores, José Antonio Bonini, Terezinha, Parussolo Botteon e pelo jornalista, Leandro Giudici. Agora as redações irão para a etapa estadual e posteriormente à estadual e nacional. A premiação ocorre em dezembro.

São cinco categorias de texto, cada uma para uma faixa etária: Poema; memórias literárias, crônica e artigo de opinião. Alguns deles com mais de uma participação por escola. Cada jurado deu uma nota para cada texto, que depois foram somadas e definiram os melhores.

Na categoria poema, da Escola Agrícola, foi selecionado o texto de Rafaela Aparecido Reinato, da professora Angélica Cassola Canolla, cujo título foi ‘Torrinha’. Na categoria Memórias Literárias, o texto de Erik Reinaldo Bissoli, da Escola Lázaro foi o único concorrente com o texto ‘A grande geada preta’, uma interessante história real dos anos 70. Em crônicas, Matheus Nascimento, também da Lázaro, aluno da professora Alciléia Minatel foi o vencedor do texto ‘Lugar onde vivo’.

Em artigo de opinião, vence o texto ‘Um bom lugar’ da aluna Andressa Carvalho, da mesma professora e escola anterior.

Cada um dos textos, dentro do seu propósito, relatam, exaltam e contam histórias populares, lendas, citam as belezas naturais e as características do dia-dia de Torrinha “A qualidade dos textos é surpreendente. Em todos eles há uma narrativa peculiar sobre o modo com que cada um deles enxerga nossa cidade, o que é muito interessante. Alguns deles fazem um resumo muito perfeito e completo de cada uma dos aspectos que constroem a cultura torrinhense”, comenta Leandro Giudici.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta