PL proibindo a contratação de pessoas com “Ficha Suja” é aprovado por vereadores de Águas de São Pedro

PL proibindo a contratação de pessoas com “Ficha Suja” é aprovado por vereadores de Águas de São Pedro

Foi aprovado pelos vereadores de Águas de São Pedro,  durante a 5ª  sessão ordinária da Câmara Municipal realizada na quinta-feira, (16/04), o Projeto de Lei nº 52/2019, de autoria dos vereadores Valter Ferreira, o Valter da Jaws, Professor Marco Berto e Maria de Fátima Scaranelo, a Meri, que aplica a lei federal da “Ficha Limpa” também para nomeação de cargos públicos na Estância Hidromineral de Águas de São Pedro.

O PL na prática “Institui a Lei da Ficha Limpa Municipal na nomeação de servidores a cargos comissionados no âmbito dos Poderes Legislativo e Executivo do Município de Águas de São Pedro e dá outras providências”.

De acordo com o PL fica vedada a admissão para cargos em comissão e de confiança de pessoas que incidam nas hipóteses de inelegibilidade, previstas na legislação federal, especialmente aquelas constantes da lei Complementar 135/2010.

Ou, seja, apenas as pessoas enquadradas na Lei da “Ficha Limpa” federal, estão enquadrados na norma, estando entre eles: O artigo 1º, I, “e”, dessa lei, com a redação que lhe deu a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/2010), considera inelegíveis para todos os cargos: os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o transcurso do prazo de 8 (oito) anos após o cumprimento da pena, pelos crimes: contra a economia popular, a fé pública, a administração pública e o patrimônio público; contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na lei que regula a falência; contra o meio ambiente e a saúde pública;eleitorais, para os quais a lei comine pena privativa de liberdade; de abuso de autoridade, nos casos em que houver condenação à perda do cargo ou à inabilitação para o exercício de função pública; de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores;de tráfico de entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos; de redução à condição análoga à de escravo; contra a vida e a dignidade sexual; e praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando;…” e também os que tiveram as contas rejeitadas por irregularidade insanável e irrecorrível, bem como que configure ato doloso de improbidade administrativa. Além disso, políticos cassados ou que tenham renunciado em decorrência de processos de cassação não poderão nos oito anos seguintes ocupar tais cargos.

Os parlamentares autores destacam que a medida visa garantir a moralidade na gestão pública, uma vez que mesmo impedidos de exercerem cargos eletivos, caso não haja lei municipal, não há impedimento para nomeação para cargos em comissão.

“A Lei da Ficha Limpa Municipal tem como objetivo proteger a probidade e a moralidade administrativa, estipulando vedações para nomeação de Cargos em Comissão e Confiança. É uma lei que segue ao que determina a lei federal, ou, seja, os servidores que se enquadram nessa norma, seguirão as mesmas diretrizes válidas para os ocupantes de mandatos políticos, que torna inelegíveis como candidatos os que tenham sofrido condenação, em decisão colegiada, por praticarem crimes de corrupção, improbidade administrativa, abuso de poder econômico, homicídio e tráfico de drogas estarão impedidos de ocuparem cargos públicos, além de outros casos que a lei federal já especifica”, disseram.

“Devemos buscar a composição destes Poderes por pessoas capacitadas tecnicamente e com idoneidade moral, para isso seguirmos a lei federal quanto a questão da ficha limpa é um grande passo neste sentido”, agurmentaram os vereadores.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta