Mesmo com obra licitada e já autorizada Governador João Dória cancela reforma do hospital de Águas de São Pedro

O governador João Dória (PSDB) mandou cancelar dezenas de contratos já licitados pelos municípios paulistas, como fez recentemente com os recursos do DADETUR (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estancias).

Assim como já ocorreu com os recursos do DADETUR, a estância de Águas de São Pedro também foi afetada com mais esse pacote de cancelamentos e a reforma do pronto-atendimento, que já tinha a ordem de serviço assinada e deveria começar nesta semana, está sob risco de não acontecer.

Tudo porque o tucano resolveu contingenciar os gastos do governo e optar por outras prioridades em sua gestão.
Também há um pedido, por parte do governo do estado, para que a prefeitura reembolse os R$ 130 mil já depositados na conta do município referentes à primeira parcela da obra. Ao todo, as melhorias somariam R$ 650 mil.

O secretário de Saúde, João Victor Barboza, disse há ações para tentar rever a situação de forma pacificada, inclusive no contato com deputados.

“Estamos tentando sensibilizar o governador depois de sermos pegos de surpresa. Um instrumento jurídico não pode ser afetado por uma decisão unilateral. A empresa já teve gastos com ART, seguro da obra. A empresa, a prefeitura e a população não podem ser afetadas dessa forma”, completou Barboza.
Caso as conversas não avancem, o município recorrerá a medidas judiciais para garantir a continuidade do processo e, enfim, executar a obra.

“Estamos avaliando todas as medidas jurídicas possíveis para seguir com a reforma. Já temos uma parte depositada em conta, já foi dada a autorização para a empresa que venceu a licitação. Não é possível que não haja uma sensibilidade do governo em autorizar o início dessas obras que já estão em estágio bem avançado. Sabemos que orçamento para isso existe, e vamos lutar”, ressaltou.

O primeiro espaço que seria reformado com os recursos é a sala de raio-X. O município já adquiriu, inclusive, um novo aparelho.

A autorização para o repasse da verba foi publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo no último dia 7 de julho, mas era necessário aguardar o período eleitoral para dar início às obras.
O projeto completo previa a construção de mais um leito de emergência, um novo leito para isolamento de pacientes, área para poltronas hospitalares e soro rápido (seriam seis novas poltronas) e reforma na parte estrutural do prédio.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Cancelar resposta